PUBLICIDADE
Topo

Rolls-Royce faz 1º voo do avião elétrico mais rápido do mundo; veja

Avião 100% elétrico da Rolls-Royce em voo inaugural. Aeronave pode alcançar a velocidade de 480 km/h - Rolls-Royce
Avião 100% elétrico da Rolls-Royce em voo inaugural. Aeronave pode alcançar a velocidade de 480 km/h Imagem: Rolls-Royce

Do Tilt, em São Paulo

20/09/2021 10h53Atualizada em 20/09/2021 14h11

A Rolls-Royce anunciou que o seu avião 100% elétrico, considerado o mais rápido do mundo neste estilo, realizou seu voo inaugural na última quarta-feira (15). Chamada de Spirit of Innovation, a aeronave completou um voo de 15 minutos de duração. A previsão inicial era de que o primeiro voo fosse realizado até o final de junho. A empresa não explicou a mudança no cronograma.

O avião decolou da pista do Boscombe Down, local onde são realizados os testes de aeronaves militares do Ministério da Defesa do Reino Unido. A expectativa é que a aeronave alcance a velocidade de 480 km/h, batendo o recorde de velocidade.

Warren East, CEO da Rolls-Royce, disse que o primeiro voo da Spirit of Innovation "é uma grande conquista para a equipe". "Estamos focados em produzir os avanços tecnológicos que a sociedade precisa para descarbonizar o transporte aéreo, terrestre e marítimo", afirmou.

Vídeo divulgado pela Rolls-Royce mostra como foi o voo inaugural do avião:

Spirit of Innovation takes to the skies from Rolls-Royce on Vimeo.

O avião tem capacidade para apenas um passageiro. Todas as baterias, motores e geradores do avião funcionam de forma sustentável. A velocidade da aeronave é 20% menor que a média dos aviões convencionais.

O trajeto de um voo de duas horas, por exemplo, seria completado em, aproximadamente, 24 minutos a mais. A compensação viria na forma de sustentabilidade já que ele pode ser recarregado com energia solar ou uma turbina de energia eólica.

O avião faz parte do projeto conhecido como ACCEL (Accelerating the Electrification of Flight ou Acelerando a eletrificação do voo, em tradução livre). Além da Rolls-Royce, a fabricante de motores e controladores elétricos Yasa e a empresa de aviação Electroflight também integram o time. O dinheiro para colocar o plano em ação sai do Instituto de Tecnologia Aeroespacial (ATI) e do Departamento de Estratégia Empresarial, Energética e Industrial do Reino Unido.