PUBLICIDADE
Topo

Tripulação da missão da SpaceX retorna à Terra em segurança; veja como foi

Tripulação da missão Inspiration4, da SpaceX, retornou em segurança à Terra - Reprodução
Tripulação da missão Inspiration4, da SpaceX, retornou em segurança à Terra Imagem: Reprodução

Letícia Naísa

De Tilt*, em São Paulo

18/09/2021 20h31Atualizada em 20/09/2021 16h16

Os turistas que passaram três dias no espaço voltaram à Terra em segurança. Chris Sembroski, Hayley Arceneaux, Jared Isaacman e Sian Proctor foram os primeiros civis a fazerem um passeio pelo espaço e a darem algumas voltinhas em torno da Terra sem a presença de astronautas profissionais na tripulação.

A cápsula Dragon, que foi a casa dos quatro norte-americanos nos últimos dias na missão Inspiration4, pousou às 20h06 (no horário de Brasília) deste sábado (18) sobre o oceano Atlântico, próximo à costa da Flórida, nos EUA.

O momento de abertura dos paraquedas e o momento em que a cápsula pousou sobre a água foram muito aplaudidos pela equipe na sala de controle da SpaceX. Os preparativos para a volta da tripulação começaram na noite de sexta-feira (17). A reentrada à atmosfera é um dos momentos mais tensos de uma viagem espacial.

Como foi a volta

O computador da nave realizou o descarte de seu "porta-malas", ou seja, a base da cúpula que contém painéis solares e sistemas de energia usados para controlar o voo em órbita. As peças foram se soltando no meio do caminho e apenas o topo da cápsula pousou no oceano.

A Dragon usa seus propulsores para realizar um giro de 180º, virando a sua ponta para o lado oposto, como se estivesse em marcha à ré. Essa manobra fará com que a cápsula comece a reduzir a velocidade. Os propulsores irão direcionar a trajetória do veículo para fazê-lo descer de sua altitude, chegando mais perto da Terra.

Primeira imagem da reentrada da cápsula Dragon, da SpaceX, à atmosfera terreste - Reprodução - Reprodução
Primeira imagem da reentrada da cápsula Dragon, da SpaceX, à atmosfera terreste
Imagem: Reprodução

Primeiro, é preciso encontrar o ângulo correto para a trajetória. Se for muito agudo, a força-G (força de gravidade causada pela forte aceleração/desaceleração da cápsula) poderia ser fatal para os astronautas e/ou o atrito com o ar poderia fazer a cápsula explodir. Se for muito raso, ela poderia catastroficamente "quicar" na atmosfera e voltar sem controle ao espaço.

Quando a Dragon estiver perto o bastante para ser "capturada" pela gravidade da Terra, começa o processo de reentrada. Para não se desintegrar ao atravessar as camadas da atmosfera da Terra, a Dragon é equipada com um conjunto de escudos chamados PICA (Phenolic-Impregnated Carbon Ablator), que usa placas de cerâmica de carbono capazes de aguentar temperaturas de até 2.760 graus Celsius.

A temperatura da superfície da cápsula Dragon chegou a 1.926°C durante a volta. Por dentro, não passa dos 29°C para manter a tripulação aquecida.

 Cápsula Dragon, da missão Inspiration4 da SpaceX, pousa no Oceano Atlântico - Reprodução/Twitter - Reprodução/Twitter
Cápsula Dragon, da missão Inspiration4 da SpaceX, pousa no Oceano Atlântico
Imagem: Reprodução/Twitter

Durante a reentrada, houve um período de blackout, quando a nave ficou sem comunicação com a central por volta de 4 minutos. Assim que a comunicação foi restabelecida, quatro paraquedas da cápsula se abriram para diminuir a velocidade e realizar o pouso, que aconteceu sem problemas.

"Esta missão mostrou que o espaço é para todos nós", afirmou um dos funcionários da SpaceX durante a transmissão do pouso.

Saída da cápsula

Uma equipe de resgate buscou a tripulação e Hayley Arceneaux foi a primeira a deixar a cápsula, seguida de Sian Proctor. Sorridentes, os quatro acenaram e foram muito aplaudidos. Uma equipe médica ficou a postos para examinar a tripulação antes que eles pudessem entrar em um helicóptero direto para o continente.

*Com matéria de Lucas Carvalho