PUBLICIDADE
Topo

Crise de idade? Por que Bezos agora investe na fórmula do rejuvenescimento

Jeff Bezos, fundador da Amazon - Getty Images
Jeff Bezos, fundador da Amazon Imagem: Getty Images

Marcella Duarte

Colaboração para Tilt, em São Paulo

18/09/2021 04h00

Biotecnologia usada para fazer as pessoas parecerem mais jovens e até viverem mais. Essa é a proposta da Altos Lab, startup financiada por bilionários como o russo Yuri Milner e Jeff Bezos, fundador da Amazon e pessoa mais rica do mundo.

A Altos quer desenvolver uma tecnologia de reprogramação biológica para rejuvenescer células em laboratório. Cientistas acreditam que esse processo poderia ser usado para revitalizar organismos inteiros de animais —e, um dia, prolongar a vida humana.

A empresa está recrutando profissionais, com salários milionários, e pretende abrir institutos em diversas partes do mundo, incluindo São Francisco e San Diego (EUA), Cambridge (Inglaterra) e Japão.

Entre os cientistas que devem se juntar a Altos está o biologista espanhol Juan Carlos Izpisúa Belmonte, que ficou conhecido por pesquisas sobre misturar embriões de seres humanos e macacos, e acredita que a vida humana possa ser expandida em 50 anos.

Também farão parte Steve Horvath, que desenvolveu um "relógio biológico" para medir com precisão o nosso envelhecimento, e Shinya Yamanaka, ganhador do prêmio Nobel de 2012 pela descoberta da reprogramação celular.

Yamanaka descobriu que, com a adição de apenas quatro proteínas, as células podem ser "instruídas" a retornarem a um estado primitivo, com propriedade de células-tronco embrionárias.

Em 2016, Belmonte aplicou essa técnica a ratos vivos, alcançando sinais de rejuvenescimento, como uma reversão de idade biológica.

O espanhol chamou a reprogramação de "elixir da vida" — além dos efeitos estéticos, tem o potencial de melhorar habilidades cognitivas e tratar diversas doenças, de Alzheimer até lesões cerebrais.

Mas os resultados com os ratos, apesar de impressionantes, são um pouco amedrontadores. Dependendo da quantidade de reprogramação, os animais desenvolveram tumores horríveis chamados teratomas.

O desafio é refinar a técnica para rejuvenescer um organismo com segurança, sem matá-lo —e isso está bem longe de ser realidade e, mais ainda, de chegar a humanos.

Crise de idade?

Jovens querem ser ricos e ricos querem ser jovens. Milner, 59, e Bezos, 57, podem estar sentindo este paradoxo na pele. Com uma fortuna estimada em mais de US$ 200 bilhões (R$ 1,1 trilhão), Bezos deixou o cargo de presidente executivo da Amazon para se dedicar a outros projetos, como filantropia e exploração espacial.

Não se sabe quantos ou quem são todos os investidores da Altos, que já teria angariado pelo menos US$ 270 milhões. Ela tem sido comparada com a Calico Labs, uma companhia de longevidade anunciada em 2013 pelo cofundador da Google, Larry Page.

Também há outras startups interessadas em tecnologias de reprogramação e rejuvenescimento, como Life Biosciences, Turn Biotechnologies, AgeX Therapeutics e Shift Bioscience, mas nenhuma chegou a tratamentos com testes clínicos em humanos até agora.

O envelhecimento e decadência é uma das preocupações de Bezos, tanto que, em sua carta de despedida para os acionistas, incluiu uma citação do biólogo Richard Dawkins: "Protelar a morte é uma coisa que você tem que trabalhar... Se os seres vivos não trabalharem ativamente para evitá-la, eles acabariam por se fundir com seu entorno e deixam de existir como seres autônomos. Isso é o que acontece quando eles morrem."