PUBLICIDADE
Topo

Móveis, 260 Big Macs e carro: o que dá para comprar com preço do iPhone 13

Nova linha iPhone 13 foi lançada pela Apple - Divulgação/ Apple
Nova linha iPhone 13 foi lançada pela Apple Imagem: Divulgação/ Apple

Melissa Cruz Cossetti

Colaboração para Tilt, do Rio de Janeiro

15/09/2021 04h00

A Apple lançou na tarde de ontem (14) sua nova linha de celulares com preços a partir de R$ 6.599. Quando o assunto é o modelo mais robusto, o valor pode chegar a incríveis R$ 15.499 para o iPhone 13 Pro Max — maior em tudo, com 1 TB de armazenamento, tela de 6,7 polegadas, câmera traseira tripla e 5G.

Ainda que juntar o montante necessário para investir em algum modelo do iPhone 13 novo (são quatro no total) continue sendo um desafio para o brasileiro, os preços iniciais de lançamento da Apple estão menores neste ano que os de 2020. O mais "barato" começava em R$ 6.999 (iPhone 12 mini).

Em todo caso, Tilt decidiu pesquisar o que dá para comprar com o valor da nova linha de celulares. Comparamos os preços com outros itens no mercado, como carros, computadores Apple, passando pelo valor do salário mínimo, cesta básica e o preço de um sanduíche do tipo Big Mac. E o resultado é (no mínimo) curioso.

Para você ter uma ideia, com o valor do iPhone 13 mini de 128 GB de memória interna, o mais em conta entre os apresentados ontem, dá para comprar quase seis cestas básicas ou cerca de 260 sanduíches Big Mac (considerando o valor de R$ 24,90). Se o cálculo for feito com o modelo mais caro (iPhone 13 Pro Max de 1 TB), seria possível comprar 13 cestas básicas na cidade de São Paulo ou cerca de 580 sanduíches do McDonald's.

Vale lembrar que o galope da inflação nos últimos meses aproximou o preço da cesta básica em São Paulo ao do salário mínimo (R$ 1.100) e chegou quase a empatá-los, em julho, com a cesta paulistana saindo a R$ 1.064,79, segundo o Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos).

iPhone 13 ganhou a cor rosa - Apple - Apple
iPhone 13 ganhou a cor rosa
Imagem: Apple

Que tal algo da própria Apple? Macbook Air, iPad Air...

No site da Apple, os R$ 6.599 do iPhone 13 mini ainda não compram um computador da empresa. O mais acessível deles, o Mac Mini, sai por R$ 8.699. Mas, a versão 13 Pro Max mais cara — R$ 15.499 — compra com sobra um equipamento da linha Macbook Air, que custa a partir de R$ 12.999.

Por R$ 400 a mais do 13 mini, você pode levar um iPad Air de R$ 6.999 ou economiza R$ 400 na compra de um novo iPad mini (também lançado ontem) a partir de R$ 6.199. Se você quiser um iPad de 9ª geração (também no modelo lançado com o iPhone 13), compra o tablet mais recente com folga por R$ 3.999 (a versão mais básica).

Com preço polêmico, a AirTag, dispositivo que permite rastrear objetos, sai por a partir de R$ 369. Com o valor do iPhone 13 mini você descola 17 delas. Ou cerca de cinco kits com quatro unidades do acessório da Apple.

Renovando a casa

Para além das fronteiras da Apple, o Tilt pesquisou os itens mais baratos entre os eletrodomésticos no Shopping UOL, a ferramenta de comparação de preços do UOL.

Com R$ 6.599 é possível comprar:

E ainda sobram alguns trocados (R$ 210) para complementar a sua decoração.

Carro ou moto?

Saiba que é possível até comprar um carro usado pelo preço que você pagaria em um iPhone 13 mini, desde que você não se importe muito com a idade ou o estado de conservação do veículo (e esteja disposto a gastar com combustíveis após a aquisição — a alta da gasolina nas últimas semanas é de assustar).

Num giro rápido em sites de classificados, o Tilt encontrou modelos populares usados como Fiat Palio, Fiat Uno e Ford Ka com grande variação de idade e quilômetros rodados, custando em torno dos R$ 6.599 cobrados pelo iPhone 13 mini. Nada especial, mas rodam.

Contudo, se o que você procura é uma motocicleta, o mercado de usados em duas rodas também tem opções acessíveis que se equiparam ao valor de um iPhone mini. Em geral, você vai encontrar, pelo mesmo preço, as de 125 cilindradas de fabricantes como Honda, Suzuki e Yamaha, nos mais variados estados de conservação e quilômetros de estrada.

Dez anos de Netflix

Se a sua intenção é não sair do sofá e a conta do streaming está cada vez mais alta, vamos fazer alguns cálculos. Que tal trocar seu iPhone 13 mini por pacotes de serviços streaming por um longo, longo tempo?

Por R$ 6.599 dá para pagar 117 mensalidades da Netflix no plano mais caro (R$ 55,90), aquele com resolução 4K e quatro aparelhos ao mesmo tempo. São quase dez anos de Netflix! Não vai dar mais para dizer que não teve tempo de ver algo.

Se você prefere fazer as contas com o Amazon Prime Video (R$ 9,90), que fica embutido no pacote Amazon Prime, por R$ 6.599 você poderia assinar o serviço por nada menos que 55 anos. O mesmo valor (e o tempo) pode ser dedicado ao Apple TV+.

Bateu a fome?

Com a grana cobrada no iPhone 13 mini, é possível comprar cerca de 260 sanduíches por R$ 24,90 cada ou 206 combos do Big Mac, incluindo batata grande e refrigerante, que hoje sai por R$ 31,90. Seria quase quatro lanches por semana durante um ano inteiro.

Note que isso é apenas para fins comparativos, ninguém recomenda uma dieta à base de fast food.

Preços dos iPhone 13 em comparação com os de 2020

iPhone 13 Mini

  • 128 GB: R$ 6.599
  • 256 GB: R$ 7.599
  • 512 GB: R$ 9.599

iPhone 13

  • 128 GB: R$ 7.599
  • 256 GB: R$ 8.599
  • 512 GB: R$ 10.599

iPhone 13 Pro

  • 128 GB: R$ 9.499
  • 256 GB: R$ 10.499
  • 512 GB: R$ 12.499
  • 1TB GB: R$ 14.499

iPhone 13 Pro Max

  • 128 GB: R$ 10.499
  • 256 GB: R$ 11.499
  • 512 GB: R$ 13.499
  • 1TB GB: R$ 15.499

iPhone 12 Mini (lançado em 2020)

  • 64 GB: R$ 5.699 (preço antigo: R$ 6.999)
  • 128 GB: R$ 6.199 (preço antigo: R$ 7.499)
  • 256 GB: R$ 7.199 (preço antigo: R$ 8.499)

iPhone 12 (lançado em 2020)

  • 64 GB: R$ 6.499 (preço antigo: R$ 7.999)
  • 128 GB: R$ 6.999 (preço antigo: R$ 8.499)
  • 256 GB: R$ 7.999 (preço antigo: R$ 9.499)

Com a atualização, a Apple deixa de vender celulares como o iPhone XR (que custava R$ 4.999). Os iPhones 12 Pro e 12 Pro Max também foram cortados da linha de vendas da companhia — repetindo o que a marca fez no ano passado ao cortar o 11 Pro e o 11 Pro Max. Esses modelos ainda continuam sendo vendidos em revendedores autorizados.