PUBLICIDADE
Topo

Robô humanoide pinta quadros e tem até exposição em Londres

Ai-Da é o nome da robô artista - Divulgação
Ai-Da é o nome da robô artista Imagem: Divulgação

Priscila Gorzoni

Colaboração para Tilt, em São Paulo

17/07/2021 04h00Atualizada em 17/07/2021 16h57

Observar por alguns segundos os detalhes do rosto da artista Ai-Da é curioso e estranho ao mesmo tempo. Os olhos, os cabelos, o contorno do nariz. Tudo parece milimetricamente proporcional. E talvez tenha sido mesmo a intenção de seus criadores.

Ai-Da, descrita como a primeira artista robô humanoide realista do mundo, está com uma exposição exclusiva no Museu do Design em Londres, que vai até 29 de agosto. Depois do rosto com características humanas, os seus braços robóticos chamam bem a atenção

A primeira exposição da artista aconteceu em 2019, quando ela exibiu desenhos, pinturas, esculturas e obras de vídeo. Na deste ano, o foco são autorretratos feitos por ela.

Ai-Da faz obras de artes abstratas e autorretratos - Divulgação - Divulgação
Ai-Da faz obras de artes abstratas e autorretratos
Imagem: Divulgação

O lado artístico

Funcionando com base em inteligência artificial, a robô artista se especializou em fazer obras de arte abstratas. Mas também se arrisca autorretratos com toques surrealistas.

No ano passado, a robô conseguiu mais de US$ 1 milhão em suas pinturas abstratas, baseadas em modelos matemáticos complexos.

Ao site "The Guardian", o inventor Aidan Meller contou que as imagens produzidas pela Ai-Da foram feitas para inquietar as pessoas sobre qual é o papel dos seres humanos e o que a tecnologia pode replicar.

A própria robô levantou essa reflexão em uma entrevista que deu para a "BBC". "Gosto de ser alguém que faz as pessoas pesarem", afirmou.

Como ela funciona

A Ai-Da foi criada com o propósito de pintar. Ela se movimenta simulando o corpo humano, mas possui braços robóticos expostos, que lhe permitem segurar os lápis e os pinceis.

Seus olhos têm câmeras integradas que se conectam a um sistema de visão computacional. Com isso, a artista pode criar o retrato de alguém que esteja em sua frente.

A ideia de criação da Ai-Da surgiu em 2017. Foram dois anos até ela ganhar "vida", após um trabalho conjunto que reuniu programadores, historiadores da arte, artistas, psicólogos e profissionais da robótica.

Detalhes dos braços robóticos - Divulgação - Divulgação
Detalhes dos braços robóticos
Imagem: Divulgação

Os braços mecânicos foram desenvolvidos pelos engenheiros Salah Al Abd e Ziad Abass. O rosto foi desenhado pela pesquisadora Lucy Seal, pelo artista digital Alex Kafoussias e pelo designer 3D Tim Milward.

Ela recebeu esse nome em homenagem à cientista Ada Lovelance, pioneira que atuou no século XIX em projetos propostos pelo matemático e engenheiro Charles Babbage.

O que achou? Super criativo ou bizarro?

No vídeo abaixo, você pode ver uma palestra que a Ai-Da participou: