PUBLICIDADE
Topo

Implante permite que homem mudo se comunique usando o pensamento

Cientistas da Universidade da Califórnia em San Francisco colocaram um implante cerebral em um homem paralisado - Reprodução/Youtube
Cientistas da Universidade da Califórnia em San Francisco colocaram um implante cerebral em um homem paralisado Imagem: Reprodução/Youtube

Colaboração para Tilt, em São Paulo

15/07/2021 14h28Atualizada em 15/07/2021 14h28

Cientistas da Universidade da Califórnia em São Francisco, nos Estados Unidos, colocaram um implante cerebral em um homem paralisado. Com isso, ele se comunicou pelo "pensamento" com a ajuda de um computador.

O sistema foi testado em um homem de 30 anos, identificado como Bravo1, que sofreu um derrame cerebral na adolescência e perdeu a fala, segundo o TNW News.

Os cientistas implantaram por meio de um processo cirúrgico invasivo um conjunto de eletrodos de alta densidade sobre o córtex motor de fala do homem. Depois, o implante foi ligado a um computador direto na cabeça dele.

Durante 22 horas, ao longo de alguns meses, os pesquisadores monitoraram a atividade cerebral de Bravo1 enquanto ele pensava em palavras simples, como "água" e "família".

Conforme ele pensava, modelos da rede neural diferenciavam sinais neurológicos para decifrar o que ele tentava dizer. O experimento começou a pedir frases curtas para decodificá-las em um monitor.

A primeira pergunta do computador foi "como você está hoje?". Em seguida, o sistema processou a resposta de Bravo1. "Estou muito bem."

"O implante mostra uma grande capacidade de restaurar a comunicação por meio do uso da maquinaria natural da fala do cérebro", diz o neurocirurgião da Universidade da Califórnia, Edward Chang, ao TNW News.

Com a fala, normalmente comunicamos informações em uma taxa muito alta, de até 150 ou 200 palavras por minuto. Ir direto às palavras, como estamos fazendo aqui, tem grandes vantagens porque está mais próximo de como normalmente falamos."

Os pesquisadores ressaltaram, porém, que o sistema ainda precisa ser aperfeiçoado, pois está sujeito a erros. As palavras foram decodificadas com a precisão de 74%, com uma taxa média de 15 palavras por minuto e com o desempenho máximo de 93% a 18 palavras por minuto.

Eles acreditam que milhares de pessoas que perdem a capacidade de falar poderão contar com este sistema no futuro.