PUBLICIDADE
Topo

'Homem de Ferro': inventor cria primeiro traje voador movido a eletricidade

O "E-Suit" é diferente dos modelos existentes, em sua maioria movidos a querosene de avião - Reprodução/Redes Sociais
O "E-Suit" é diferente dos modelos existentes, em sua maioria movidos a querosene de avião Imagem: Reprodução/Redes Sociais

Colaboração para o Tilt, em Santos

14/07/2021 16h32Atualizada em 14/07/2021 16h32

Os seres humanos estão perto de criar um dispositivo que permite voos semelhantes ao do personagem "Homem de Ferro", da Marvel, vivido nos cinemas pelo ator Robert Downey Junior.

Pelo menos é nisso que acredita o inventor britânico Richard Browning, fundador e piloto de teste chefe da Gravity Industries, que criou um "jet suit", um "traje voador" com motor a jato de 1050 HP para os fãs de voos solo.

O traje, batizado de "E-Suit", é o primeiro movido a eletricidade e faz parte do objetivo da empresa de "ultrapassar os limites do que é considerado possível".

"Nosso traje já chega no limite do que é possível por causa da densidade de energia e das baterias. E ainda assim conseguimos fazê-lo funcionar hoje", disse Browning à Reuters, durante o Goodwood Festival of Speed, evento de automobilismo realizado no sul da Inglaterra, onde o modelo elétrico "E-Suit" foi colocado em funcionamento pela primeira vez.

As baterias utilizadas atualmente são potentes o suficiente apenas para fazer um humano voar por alguns segundos. Um modelo semelhante movido a querosene de aviação já chega aos quatro minutos de voo.

"O traje elétrico tem energia suficiente para sobrevoar uma pequena rua residencial. É impressionante a quantidade de energia que você precisa condensar para fazer um humano decolar. Isso revela quanta energia você obtém com a gasolina, o diesel e outros combustíveis. De qualquer forma, estamos chegando lá", acrescentou Browning.

A Gravity Industries foi lançada em março de 2017, com uma apresentação de seu fundador demonstrando o primeiro traje a jato, movido a querosene de aviação, que pode atingir velocidades superiores a 128 km/h e até 3.600 metros de altura.

Testes com fuzileiros e paramédicos

Em maio, a empresa apresentou seu projeto de trajes a jato para a Marinha Real britânica, para demonstrar como o equipamento pode ajudar nas operações de embarque marítimo.

A equipe da empresa passou três dias com 42 fuzileiros navais reais do HMS Tamar, na costa sul do Reino Unido.

O traje já havia sido testado por paramédicos na remota região de Lake District, na Inglaterra, para levar os profissionais até pessoas em perigo em uma fração do tempo que seria necessário em uma viagem de carro ou a pé.

"Tanto para o uso militar quanto para o resgate em emergências; são novas aplicações, mas são muito reais", acredita Browning. "Fizemos exercícios suficientes com ambos os grupos, em uma variedade de países, para provar que o equipamento é realmente poderoso", completou.