PUBLICIDADE
Topo

Caso DJ Ivis: entenda como funciona o bloqueio de artistas no Spotify

Arte UOL
Imagem: Arte UOL

De Tilt, em São Paulo

12/07/2021 20h41Atualizada em 13/07/2021 09h07

Em defesa de Pamella Gomes de Holanda, que foi vítima de agressão com chutes, tapas e socos por parte de Iverson de Souza Araújo, o DJ Ivis, alguns brasileiros recorreram ao Twitter para incentivar pessoas a denunciarem o agressor no Spotify. Porém, é importante esclarecer que denunciar qualquer artista exige que ele tenha ferido regras diretas da plataforma (entenda melhor a seguir).

Caso você não queira mais ouvir as músicas de Araújo, o que dá para fazer bloquear a reprodução das músicas dele (e de qualquer artista) em playlists e rádios. O app de músicas não permite fazer o processo pelo celular. Tudo deve ser feito pelo computador.

Como bloquear qualquer artista

Se você cansou das músicas de alguém, não quer mais acompanhar o trabalho de determinada pessoa — ou quer bloquear o som do DJ que agrediu a esposa — o caminho é o seguinte:

  1. Pesquise pelo nome do(a) artista na busca do Spotify;
  2. Abra o perfil de quem você quer bloquear e toque no ícone de três pontinhos;
  3. Selecione "Não tocar esse artista".

Pronto. As músicas da pessoa não aparecerão mais para você em playlists, rádios ou na página inicial de recomendações. Esse processo não afeta a relação do artista com o Spotify: ele vai continuar na plataforma, mas suas músicas não aparecerão mais para você.

Denúncias de artistas que violam regras do Spotify

Para denunciar um(a) artista que violou as regras do Spotify, você precisa acessar a plataforma através do computador, seja pelo navegador ou do app para Windows. Não dá para fazer denúncias pelo aplicativo para celular.

O Spotify alerta que as pessoas podem denunciar artistas por um desses três motivos:

  • Músicas com conteúdo explícito;
  • Conteúdo ofensivo ou infrator;
  • Conteúdo corrompido ou incorreto.

O que acontece depois? "Cada denúncia é investigada de maneira individual. Não conseguimos responder diretamente a todas as denúncias, mas usaremos nosso critério e removeremos qualquer conteúdo considerado inapropriado", diz o Spotify em sua página de solução de problemas.

O caminho é o seguinte:

  1. Pesquise pelo artista na busca do Spotify;
  2. Abra o perfil de quem você quer bloquear e clique no ícone de três pontinhos;
  3. Selecione "Denunciar";
  4. Na nova página que se abriu no navegador, selecione a razão pela qual está denunciando o artista;
  5. Após selecionar a razão da denúncia, preencha o e-mail que você usa para fazer login no Spotify e clique em "Verificar e-mail";
  6. Você terá recebido um código do Spotify por email. Copie e cole neste campo o código e clique em "Verificar código";
  7. Na próxima tela, selecione exatamente a razão da denúncia e clique em "Não sou um robô". Depois, clique em "Submit".

Pronto. "Nós priorizamos denúncias sobre conteúdos que podem causar danos. Se for determinado que o conteúdo denunciado viola as regras do Spotify, tomaremos as medidas cabíveis e informaremos o resultado a você", avisa o Spotify ao final do processo.

Não há prazo para que a plataforma envie uma resposta. As "medidas cabíveis" podem variar entre um alerta para o artista que quebrou as regras ou sua suspensão completa da rede, com o bloqueio de suas músicas.

A empresa também alerta que o "mau uso" do processo de denúncia pode levar ao encerramento da sua conta no Spotify.

Em caso de violência doméstica, denuncie

Ao presenciar um episódio de agressão contra mulheres, ligue para 190 e denuncie.

Casos de violência doméstica são, na maior parte das vezes, cometidos por parceiros ou ex-companheiros das mulheres, mas a Lei Maria da Penha também pode ser aplicada em agressões cometidas por familiares. Também é possível realizar denúncias pelo número 180 — Central de Atendimento à Mulher — e do Disque 100, que apura violações aos direitos humanos.

Há ainda o aplicativo Direitos Humanos Brasil e através da página da Ouvidoria Nacional de Diretos Humanos (ONDH) do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH). Vítimas de violência doméstica podem fazer a denúncia em até seis meses.