PUBLICIDADE
Topo

Água fria no sonho? Google adia para 2023 fim do rastreio online do Chrome

Cookies no computador, navegação - Getty Images/iStockphoto
Cookies no computador, navegação Imagem: Getty Images/iStockphoto

De Tilt, em São Paulo

24/06/2021 16h14

O que parecia um sonho para muitos internautas acabou. Pelo menos por enquanto. O navegador do Google, o Chrome, só vai passar a bloquear os cookies de terceiros, ferramentas de rastreio online usada para fins de publicidade, a partir de 2023, após adiar os planos de mudança.

Em maio deste ano, a big tech havia anunciado que deixaria de permitir o monitoramento dos internautas a partir do ano que vem. A promessa, no entanto, foi empurrada. Com o anúncio, a empresa se comprometia a não criar identificadores alternativos para mapear a navegação de cada pessoa.

O que são cookies?

São pequenos arquivos gerados pelos sites de internet que servem para rastrear você. Gravados em seu computador, os cookies identificam e recolhem informações sobre você, como os sites que você visita, palavras que você digita e até por onde seu mouse passeou na tela. Quem ganha muito com os cookies são as empresas de publicidade.

Tanto o Firefox (Mozilla) quanto o Safari (Apple) adotaram medidas conta esse tipo de monitoramento. A concorrência acusa o Google de ter intenção de obter uma participação de mercado maior em publicidade digital.

Depois de uma investigação, a CMA (Autoridade de Competição e Mercados do Reino Unido) fez um acordo neste mês com o Google para supervisionar as mudanças no navegador. A empresa afirmou que a decisão de adiamento do lançamento do recurso de bloqueio de cookies está alinhada com o acordo.

"Precisamos agir em um ritmo responsável, permitindo tempo suficiente para discussão pública sobre as soluções corretas para anunciantes e para a indústria de publicidade migrarem seus serviços", disse Vinay Goel, diretor de engenharia de privacidade para o Chrome em comunicado à Reuters.

A empresa pretende substituir os recursos de rastreamento de cookies por uma nova tecnologia e fazer testes antes de finalmente retirar os cookies do navegador a partir de 2023, se a CMA aceitar.

FLoC o quê?

A tal da nova tecnologia que poderá substituir os cookies se chama FLoC. Também é um tipo de rastreador, mas que não consegue identificar pessoalmente quem está usando o navegador.

Ao invés de rastrear o comportamento das pessoas de forma individual na web para oferecer anúncios, a FLoC analisa o comportamento geral das pessoas e as classificaria anonimamente em grupos compostos por outras pessoas com os mesmos gostos e interesses.

A alternativa proposta pelo Google, no entanto, também não agrada nem a concorrência nem entidades a favor da privacidade na web. Por enquanto, nada vai mudar, mas uma briga de gigantes pode vir por aí.

*

TILT NO TELEGRAM

*Com informações da Reuters