PUBLICIDADE
Topo

App


Suposto uso do Google Tradutor pelo Governo viraliza; entenda como funciona

Reprodução
Imagem: Reprodução

Vinícius de Oliveira

Colaboração para Tilt

07/06/2021 15h54

Sem tempo, irmão

  • Matéria da "The Economist" elenca motivos para não eleger Jair Bolsonaro em 2022
  • Expressão "vote him out" utilizada no original serve tanto para "votar para que ele saia" ou "eliminá-lo"
  • Secom criticou a revista inglesa, dizendo que a reportagem sugeriu que Bolsonaro seja morto
  • Internautas apontam que a tradução equivocada pode ter sido feita com Google Tradutor

A revista "The Economist" publicou uma reportagem de capa com o Cristo Redentor respirando com auxílio de um cilindro de oxigênio e com o título "É hora de ir embora". No texto, a renomada publicação inglesa faz uma projeção da atual situação econômica do país, os reflexos sociais do descontrole da Covid-19 e elenca motivos para Jair Bolsonaro (sem partido) não ser eleito em 2022.

Para desqualificar o texto, a Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom) fez uma série de 23 tuítes nesse domingo (6), criticando o conteúdo da reportagem. No entanto, chamou a atenção o trecho em que a pasta diz que a matéria sugeriu que o atual presidente brasileiro seja "morto".

A interpretação dada pela Secom causou estranheza nos internautas. No texto original, a expressão utilizada pela "The Economist" é "vote him out", que significa "votar para que ele saia" em tradução livre.

No entanto, a expressão também pode ser entendida como "eliminá-lo", em casos de programas que possuem voto do público, como Big Brother Brasil. Internautas também apontaram que é essa a tradução que aparece quando usamos o Google Tradutor.

De acordo com a Secom, a tradução utilizada foi do texto publicado pelo jornal "O Estado de S. Paulo", assinado por Romina Cácia.

Em casos como esses, dá para confiar 100% no Google Tradutor? Como funciona a ferramenta? Criada em 28 de abril de 2006, ela atualmente usa um mecanismo de tradução neural (GNMT, sigla de Google Neural Machine Traslation) para analisar frases inteiras dentro do contexto ao invés de palavras isoladas.

A ferramenta é confiável, mas há vários casos em que ela pode causar confusão com o sentido real da frase. O exemplo mais clássico é a palavra futebol, em português, que é traduzida como "football". Para os britânicos, pode até fazer sentido, mas nos Estados Unidos "football" é utilizado para o esporte que conhecemos como futebol americano. Já o que jogamos e amamos no Brasil é conhecido por lá com o "soccer".

Outros "erros" de tradução da ferramenta são os contrônimos - palavras que possuem sentidos antagônicos em inglês. É o caso de "enjoin", que pode ter tanto o sentido de "encorajar" quanto o de "proibir". Por isso, a recomendação é clara: use a ferramenta com cuidado, pois ela pode vacilar em algumas ocasiões.

Outras traduções absurdas

Esta não é a primeira vez que o Google Tradutor se envolve em alguma polêmica de tradução. Em 2018, ao traduzir a palavra "dog" repetida 19 vezes do maori para o inglês, a ferramenta trazia uma profecia sobre o Juízo Final.

No mesmo ano, a frase "sou brasileiro e vivo em São Paulo" traduzida do português para o espanhol se transformava em "busco uma mujer que le guste el sexo". O caso revoltou internautas que acusaram a gigante de tecnologia de xenofobia e machismo.

O que aconteceu nestes casos, segundo um porta-voz da empresa, é que o Google Tradutor aprende a partir de exemplos encontrados na internet. Além disso, a ferramenta permite que usuários incluam sugestões de traduções ao clicar no botão "sugerir uma edição".

"Isso é simplesmente uma função [sendo usada para] incluir absurdos no sistema, que acaba gerando esses disparates", explicou a gigante de tecnologia à imprensa internacional. Por isso, nem sempre confie nas traduções fornecidas pela ferramenta e, caso necessário, procure o serviço de tradutores profissionais.