PUBLICIDADE
Topo

Nokia 5.3 x Galaxy A12: duelo dos básicos com boa bateria

Reprodução
Imagem: Reprodução

Thaime Lopes

Colaboração para Tilt

11/05/2021 04h00

Ideais para consumidores que não podem (ou querem) gastar muito em um celular novo, o Nokia 5.3 e o Samsung Galaxy A12 são celulares intermediários com vantagens dignas de smartphones mais caros - boas baterias, design elegante e câmeras decentes.

Por menos de R$ 1.400*, eles prometem ser funcionais ao oferecer desempenho condizente com a sua faixa de preço.

Para te ajudar a decidir qual dos dois seria a melhor opção de compra, Tilt analisou as especificações técnicas de cada um dos modelos. No final, só um saiu vitorioso.

Compre Nokia 5.3

Compre Galaxy A12

O UOL pode receber uma parcela das vendas pelo link recomendado neste conteúdo. Preços e ofertas da loja não influenciam os critérios de escolha editorial.

  • Nokia 5.3: 164.3 x 76.6 x 8.5 mm; e 185 g
  • Galaxy A12: 164 x 75.8 x 8.9 mm; e 205 g

Ambos têm praticamente as mesmas dimensões, só que o Samsung é um pouquinho mais pesado que o Nokia.

Sobre a traseira deles, a Nokia decidiu apostar em um círculo que aglomera suas câmeras em um módulo separado, trazendo ao aparelho um visual único quando comparado com outros modelos de smartphone no mercado. Já o A12 tem duas câmeras traseiras agrupadas no estilo "bocas de fogão".

O Nokia tem a traseira fosca feita de plástico e disponível nas cores cinza e verde ciano. O A12 também tem traseira de plástico e vem nas cores azul, preto, vermelho e branco.

Olhando de frente, os dois aparelhos até que são bem parecidos, a única diferença é que o 5.3 tem um "Nokia" escrito no final da tela.

Veredito: ponto para a Samsung pela maior variação de cores e visual frontal mais elegante que o do concorrente.

  • Nokia 5.3: 6,5 polegadas, LCD, resolução HD+ (720 x 1600 pixels)
  • Galaxy A12: 6,5 polegadas, LCD, resolução HD+ (720 x 1600 pixels)

As especificações técnicas do visor dos aparelhos são praticamente iguais: eles têm o mesmo tamanho de tela, com um leve recuo para a câmera de selfies; mesma resolução, bem como o uso do LCD.

A única diferença é que a Nokia dá duas opções de uso da tela: padrão, com as bordas pretas, ou estendida, que ocupa quase a tela toda.

Veredito: a Nokia sai ganhando por causa dos dois tipos de tela, dando ao consumidor a possibilidade de uma experiência mais imersiva ao assistir a filmes e séries.

  • Nokia 5.3: 4.000 mAh
  • Galaxy A12: 5.000 mAh

A capacidade de 4.000 mAh do 5.3 tem suas vantagens e desvantagens. Seu ponto forte é o bom gerenciamento da bateria quando o celular está em repouso. Nos testes de Tilt, o aparelho aguentou cinco dias sem uso. Mas num dia de uso intenso, acessando muitos aplicativos diferentes, a bateria não durou nem um dia inteiro.

A Samsung, por sua vez, entrega no A12 uma bateria com capacidade levemente maior: 5.000 mAh o que, segundo a fabricante, deve dar autonomia de cerca de dois dias com um uso moderado.

Veredito: encontrar um celular nessa faixa de preço com bateria tão boa é algo que merece destaque, logo, ponto para a Samsung.

  • Nokia 5.3: traseira quádrupla (grande angular de 13 MP, ultra grande angular de 5 MP, macro de 2 MP e profundidade de 2 MP); frontal (grande angular de 8 MP);
  • Galaxy A12: traseira quádrupla (grande angular de 48 MP, ultra grande angular de 5 MP, macro de 2 MP e profundidade de 2 MP); frontal (normal de 8 MP).

Principal

Na hora de economizar para deixar o aparelho mais barato, a Nokia optou por não entregar câmeras muito boas. Com quatro lentes, sendo a principal delas com 13 MP de resolução, o conjunto não funcionou muito bem nos testes de Tilt. As imagens saíram desbotadas e com cores diferentes das que realmente eram. O modo noturno também produziu imagens borradas e com baixa resolução.

Já a Samsung apostou em manter o nível das suas câmeras elevado: sua lente principal tem 48 MP de resolução e mais três sensores, que assim como o modelo da Nokia, tiram fotos com maior ângulo de visão, de perto e com desfoque de fundo.

Veredito: por sua qualidade (bem) maior, ponto para o A12.

Frontal

Os dois aparelhos possuem câmera de selfie com 8 MP de resolução, o que significa fotos com qualidade boa, mas não excelente.

Ambos conseguem imagens satisfatórias, mas a Nokia adicionou a ferramenta "embelezar" na sua câmera frontal, deixando as fotos com aspecto bem artificial quando a função está ativada.

Veredito: como tem gente que gosta bastante de usar filtros para suavizar a pele ou esconder imperfeições, o 5.3 e sua ferramenta de embelezamento pode agradar esses usuários. Portanto, ponto para a Nokia.

  • Nokia 5.3: processador Snapdragon 665 (2.0 GHz), 4 GB de memória RAM e 64 GB de armazenamento interno
  • Galaxy A12: processador Helio P35 (2.3GHz), 4 GB de memória RAM e 64 GB de armazenamento interno

Com um processador Snapdragon 665 e uma RAM de 4 GB, o Nokia 5.3 promete um desempenho "ok" bem de acordo com a sua faixa de preço. Dito isso, se você optar por esse modelo, não deve esperar que ele funcione sem travamentos ao rodar jogos pesados.

Além disso, muitos aplicativos abertos também fazem a tela congelar por alguns segundos, mas nada que seja tão ruim a ponto de atrapalhar o uso.

O A12, por sua vez, utiliza o Helio P35, considerado mais defasado do que o processador do concorrente. Sua RAM, também de 4GB, deixa a desejar quando o assunto são aplicativos pesados.

Ambos possuem a mesma capacidade de memória interna: 64 GB.

Veredito: a Nokia sai na frente com um processador mais atualizado e que ainda com defeitos, entrega um desempenho esperado para o tipo de funcionalidades que oferece.

Por serem celulares básicos-intermediários, nem o Nokia 5.3 e nem o Galaxy A12 entregam recursos que merecem destaque.

Ainda assim, o aparelho da Nokia tem suporte para NFC, por isso com ele você seria capaz de pagar a conta do restaurante encostando o celular na maquininha. O Galaxy A12 não vem com a função.

Além disso, no Nokia é possível escutar a rádio usando os fones de ouvido, sem precisar usar a conexão com a internet — o que pode ser útil se seus dados acabarem enquanto você ouve seu streaming de música favorito.

Por outro lado, dá para usar um microSD no aparelho da Samsung e estender a memória em até 1 TB. O Nokia até permite o armazenamento externo, mas ele vai até 512 GB.

Veredito: Por ter suporte NFC e acesso a rádio FM, o Nokia leva essa categoria.

  • Nokia 5.3: R$ 1.304,10*
  • Galaxy A12: R$ 1.079,10

O duelo foi apertado, mas o Nokia 5.3 levou essa.

Apesar de o Galaxy A12 ter câmeras melhores, uma bateria super potente e ser mais elegante que o concorrente, o aparelho da Nokia vence em desempenho, com um processador mais moderno que o do da Samsung — dá até para jogar games mais leves com ele.

Sem falar nas duas opções de tela, que garantem uma experiência mais imersiva ao assistir a séries e filmes, na câmera de selfie com inteligência artificial com modo retrato e no NFC — o próprio celular para fazer pagamentos pode ser uma mão na roda.

As configurações do aparelho, entretanto, não são as melhores do mercado e a própria Nokia tem o 5.4, um pouco mais caro, mas que entrega resultados mais satisfatórios.

* Preços pesquisados em 4 de maio de 2021. Para efeitos de comparação, usamos os valores oferecidos nas lojas parceiras da Samsung e da Nokia. Não foram considerados outros descontos ou promoções de pré-venda.