PUBLICIDADE
Topo

Google segue Apple e promete revelar como apps recolhem dados no Android

iStock
Imagem: iStock

Aurélio Araújo

Colaboração para Tilt

07/05/2021 15h29

O Google anunciou que quem tem celular Android contará com mais informações sobre como os aplicativos usam os dados coletados. As mudanças vão vir por meio de uma nova política de segurança da Play Store, a loja de apps da companhia, que será implementada em 2022.

Essas informações estarão disponíveis na loja de aplicativos, numa seção a ser criada dentro dela, chamada "Segurança". O movimento lembra uma decisão semelhante tomada pela Apple com o sistema iOS, cuja loja App Store dá detalhes sobre como o aplicativo utiliza os dados da pessoa.

Por meio da seção, você poderá saber quais dados o app que você deseja baixar coleta (como, por exemplo, localização, informações pessoais, fotos e armazenamento), como o app pretende usar esses dados e se eles serão compartilhados com um terceiro.

Essa seção ainda deve mostrar se o aplicativo segue as diretrizes do Google, se os seus dados coletados serão encriptados para não vazarem, e se eles serão deletados caso o app seja desinstalado.

Seguindo a concorrência

A medida do Google vem após a Apple ter feito algo similar em 2020: em junho, a fabricante do iPhone anunciou que rotularia o nível de segurança dos aplicativos da AppStore, algo que ela colocou em prática em dezembro passado.

A Apple ainda inseriu uma janela pop-up que pergunta ao dono do iPhone se ele dá a permissão para o recolhimento dos seus dados. O Google não fará isso nesse momento, mas proverá um espaço aos desenvolvedores na nova seção para que expliquem por que o recolhimento desses dados será feito.

De acordo com os prazos apresentados pelo Google, no próximo trimestre, as novas regras serão explicadas em detalhes aos desenvolvedores de apps.

Depois, no primeiro trimestre de 2022, você já poderá ver a seção de Segurança na Play Store. E, por fim, todos os aplicativos serão obrigados a revelar as informações exigidas até agosto do próximo ano.

O que a empresa ainda não disse é qual será a punição para aqueles apps que não cumprirem as regras a serem introduzidas.