PUBLICIDADE
Topo

Facebook mantém conta de Trump suspensa, mas vai rever decisão em breve

Contas do Facebook e Instagram do ex-presidente dos EUA Donald Trump seguirão suspensas - Mandel Ngan/AFP
Contas do Facebook e Instagram do ex-presidente dos EUA Donald Trump seguirão suspensas Imagem: Mandel Ngan/AFP

De Tilt, em São Paulo*

05/05/2021 11h13

O comitê de supervisão do Facebook decidiu hoje manter a suspensão das contas do ex-presidente dos EUA Donald Trump em sua plataforma. A decisão, no entanto, deve ser revista em até seis meses.

O Facebook bloqueou indefinidamente o acesso de Trump às suas contas no Facebook e Instagram no ínício de janeiro deste ano, alegando preocupação com mais distúrbios violentos após a invasão do Capitólio dos Estados Unidos por partidários do ex-presidente.

Na ocasião, outras empresas de tecnologia também começaram a banir ou limitar o uso das redes sociais por Trump. O Twitter, por exemplo, o proibiu permanentemente de publicar para seus mais de 88 milhões de seguidores. As decisões suscitaram um amplo debate sobre liberdade de expressão e censura na internet.

No momento da suspensão, o presidente-executivo do Facebook, Mark Zuckerberg, disse em um post que "os riscos de permitir que o presidente continue a usar nosso serviço durante este período são simplesmente grandes demais".

Posteriormente, a empresa encaminhou o caso para seu conselho recentemente estabelecido, que inclui acadêmicos, advogados e ativistas de direitos humanos, para decidir a permanência ou não de Trump na plataforma.

O veredicto vinculativo marca uma decisão importante para o conselho, que decide sobre uma pequena parte das questões de conteúdo desafiadoras e que o Facebook criou como um órgão independente em resposta às críticas sobre como lida com materiais problemáticos. O Facebook também pediu ao conselho que fornecesse recomendações sobre como deveria lidar com as contas dos líderes políticos.

O Facebook informou que Trump, que tem 35 milhões de seguidores no Facebook, estará sujeito às mesmas políticas dos usuários comuns após o fim de sua presidência. Isso significa que se Trump voltar à plataforma, seus posts agora seriam elegíveis para verificação de fatos.

Antes de ser suspenso, o ex-presidente usava as suas redes sociais não apenas como principal forma de comunicação com apoiadores, mas também como meio de divulgação de decisões importantes de seu governo.

Em 2020, Facebook e Twitter passaram a incluir advertências em algumas das publicações do ex-presidente, que traziam afirmações falsas, como a de que cédulas de votação enviadas por correio resultariam em eleições fraudadas.

* Com informações da Reuters