PUBLICIDADE
Topo

Brasileiro cria atalho para Siri registrar abordagens violentas da polícia

Brasileiro cria atalho para registrar abordagem policial violenta - Reprodução/Instagram
Brasileiro cria atalho para registrar abordagem policial violenta Imagem: Reprodução/Instagram

Heloísa Barrense

Colaboração para Tilt, em São Paulo

21/04/2021 13h51Atualizada em 21/04/2021 20h35

O brasileiro Bruno Dombidau, de 27 anos, resolveu criar um atalho para a assistente inteligente da Apple, a Siri, registrar abordagens policiais violentas. Ao enunciar a frase "Ei Siri, tô tomando um enquadro", o aparelho grava a cena pela câmera e arquiva as imagens.

Ao UOL, Bruno, que é engenheiro de software e trabalha para uma empresa nos Estados Unidos, contou que ideia surgiu após a leitura de um artigo do site americano Business Insider. A matéria ensinava como que motoristas podem utilizar a ferramenta "Shortcuts", do iOS 12 da Apple, para registrar interações no trânsito com a polícia.

"Eles explicam como que funciona o Shortcuts, que é exclusivo do iPhone. E, lendo esse artigo me veio a ideia de fazer algo semelhante para o Brasil, onde a polícia pode ser bastante truculenta. Queria trazer esta ideia de uma forma mais traduzida", explicou.

Morador de São Paulo, ele acredita que a ferramenta poderá ser útil na cidade. "Nós, quando estamos na rua, vemos muita coisa que não bate com aquilo que acreditamos", defende.

A ferramenta foi divulgada ontem, pela página do Instagram de Bruno. O atalho já está disponível para download e o criador fez um passo a passo de como incluí-lo em telefones com sistema operacional iOS.

"O Shortcuts é uma ferramenta do sistema operacional para fazer rotinas automatizadas no seu celular. Você cria a lógica de rotina automatizada e a próxima vez que precisar fazer a mesma coisa, aquilo estará salvo", explica.

Desde a leitura do artigo até a implementação da ferramenta, Bruno levou apenas três dias para completar o projeto. "Foi bem rápido, já que estou familiarizado com esse tipo de coisa. Eu não tinha experiência com Shortcuts, mas não foi difícil fazer. Ele é um atalho que qualquer pessoa consegue por conta própria chegar nessa lógica e montar no seu celular."

Ele ainda conta que pretende lançar o atalho ainda esta semana para os aparelhos do sistema Android. "O funcionamento é parecido, mas o atalho não funciona em um aplicativo nativo da plataforma, como é o caso do Shortcuts no iOS. Ele funciona com aplicativos de terceiros, ou seja, é necessário baixar um aplicativo para ter acesso ao atalho."

O projeto, entretanto, não deve parar por aí. Bruno afirmou que, até pela repercussão positiva, está juntando mais pessoas interessadas para "trabalhar em um projeto de código aberto sem fins lucrativos", além de ampliar as ideias para o âmbito da multiplataforma.

A tecnologia tem um papel muito importante nesse cenário que vivemos hoje, e a gente pode tirar muito proveito dela para questões de segurança pessoal.

O engenheiro de software adiantou que também já está em contato com outras mulheres que possam tirar "as melhores conclusões" para ajudar a desenvolver um novo produto, cujo intuito é apoiar vitimas de violência contra a mulher.

Como funciona o atalho

Para baixar o atalho, é necessário ir em "Atalhos" na página de "Ajustes" do telefone e liberar a opção "Permitir Atalhos Não Confiáveis". Bruno explica que o procedimento é necessário já que a ferramenta não é desenvolvida pela Apple, e sim por terceiros.

Após o processo, o usuário deve fazer download por meio do link disponibilizado na página de Bruno. Com o atalho instalado, é necessário fazer a liberação dele para o telefone e coordenar todos os ajustes conforme as preferências.

Na hora de ativá-lo, a regra é simples: basta acionar a Siri segurando o botão de bloquear ou o da tela "Home" e, pelo comando de voz, dizer: "Tô tomando um enquadro". O criador garante: "Não se preocupe em falar devagar, ela entende bem".

O atalho diminui o volume do aparelho para zero, abaixa o brilho da tela para o mínimo, ativa o modo "não perturbe", compartilha a localização com um contado de confiança previamente definido e grava automaticamente um vídeo com a câmera frontal ou traseira, dependendo da escolha do usuário.

Ao finalizar a gravação, uma cópia do registro é enviada para o e-mail cadastrado. Há também a opção de salvá-lo na nuvem do iCloud.

Tilt entrou em contato com a Apple, e aguarda o retorno.