PUBLICIDADE
Topo

Galaxy M31 x Redmi Note 9 Pro: quem leva a melhor entre esses celulares?

Galaxy M31 x Redmi Note 9 Pro - Reprodução
Galaxy M31 x Redmi Note 9 Pro Imagem: Reprodução

Cléberson Santos

Colaboração para Tilt

06/04/2021 04h00

Se você está buscando atualmente um bom celular com bateria duradoura, mas sem gastar muito, o Galaxy M31, da Samsung, e o Redmi Note 9 Pro, da Xiaomi, se apresentam como boas opções nesse sentido.

O M31 surpreende pelo valor acessível (R$ 1.599), que embala uma bateria de 6.000 mAh, um conjunto de quatro câmeras traseiras e uma tela grande de 6,4 polegadas (16,2 cm). Já o Redmi Note 9 Pro é bem semelhante , mas o preço mais alto (R$ 3.314,99, ou em marketplaces por menos de R$ 2.500) está no padrão dos smartphones intermediários atuais *.

Será que vale a pena confiar no modelo da Samsung ou é melhor investir um pouco mais no aparelho chinês? Tilt observou as fichas técnicas dos dois modelos e explica suas vantagens e desvantagens entre si. É importante destacar que não testamos os dois aparelhos até agora; o comparativo se baseia nas informações de cada celular no nosso conhecimento prévio sobre o mercado.

O UOL pode receber uma parcela das vendas pelo link recomendado neste conteúdo. Preços e ofertas da loja não influenciam os critérios de escolha editorial.

  • Galaxy M31: 159,2 x 75,1 x 8,9mm (dimensões);e 191 gramas (peso)
  • Redmi Note 9 Pro: 165,8 x 76,7 x 8,8mm (dimensões); e 209 gramas (peso)

O Galaxy M31 é um pouco menor e mais leve que o Redmi Note 9 Pro. A diferença não é causada apenas pela dimensão do aparelho da Samsung, mas também pelo seu acabamento de plástico. O modelo da Xiaomi, por sua vez, é revestido por vidro. A tela de ambos traz a resistência Gorilla Glass 5, que promete sobreviver a quedas de até 1,2 metro de altura.

A versão verde do Redmi é charmosa e as listras na parte inferior causam um efeito de sombreamento. Esse detalhe não é tão perceptível nas opções cinza e branca, deixando o aparelho mais discreto. O M31 é mais simples, mas a posição do conjunto de câmeras agrada mais que as câmeras "bocas de fogão" no meio da traseira do Redmi.

Outra diferença entre os dois é a posição do sensor biométrico. O do aparelho Samsung está na traseira, enquanto o concorrente chinês colocou a função na lateral, abaixo dos botões de volume. O problema desta posição é que o menor toque no bolso pode destravar o aparelho.

Veredito: Apesar de ter dimensões bastante similares, 0 Redmi Note 9 Pro leva a melhor por ser mais resistente.

  • Galaxy M31: Super Amoled de 6,4 polegadas com Full HD+ (2340 x 1080 pixels)
  • Redmi Note 9 Pro: IPS LCD de 6,67 polegadas com Full HD+ (2400 x 1080 pixels)

O Galaxy M31 vem com tela Amoled, que promete economia de energia e cores vivas. A tela LCD do Note 9 Pro deve servir para o básico, mas quem gosta de assistir séries pelo celular deverá preferir o Amoled do celular rival.

Veredito: A tela de LCD é um ponto negativo em um celular nessa faixa de preço. A vitória neste quesito é do Galaxy M31. Mas é um detalhe que pode ser pouco importante para a maioria do público.

  • Galaxy M31: 6.000 mAh
  • Redmi Note 9 Pro: 5.020 mAh

A bateria é uma das principais qualidades de ambos os aparelhos. Os dois prometem mais de 15 horas de uso contínuo de internet, mas o carregamento do Redmi Note 9 Pro é mais rápido.

O carregador que acompanha o aparelho da Xiaomi é de 30W, o dobro do oferecido pela Samsung. Segundo a empresa chinesa, o Note 9 Pro alcança 57% de recarga com apenas meia hora de conexão.

O Galaxy M31 tem uma bateria com incríveis 6.000 mAh, incomum nos celulares que chegam ao Brasil, além de recurso que economizam energia, como a tela já citada.

Veredito: Apesar de o Redmi Note 9 Pro ter um carregador mais potente, o Galaxy M31 pode ficar tanto tempo na sua mão que você nem vai se importar em deixá-lo um pouco mais na tomada. Mas reforçamos que os números da bateria nem sempre refletem o uso na prática.

  • Galaxy M31: quádrupla traseira de 64 MP + 8 MP + 5 MP + 5 MP, e frontal de 32 MP
  • Redmi Note 9 Pro: quádrupla traseira de 64 MP + 8 MP + 5 MP + 2 MP, e frontal de 16 MP

Principal

Na resolução, a única diferença entre os dois smartphones está na câmera de profundidade, que faz imagens com fundo desfocado. No celular da Xiaomi, a lente que cuida desse recurso tem uma resolução menor que a do modelo da Samsung.

Já a marca chinesa apostou na função caleidoscópio das filmagens, existente também no irmão mais simples, o Redmi Note 9. Por falar em gravações, os dois aparelhos produzem vídeos em 4K.

Veredito: A lente de profundidade e a grande angular não receberam upgrades na versão Pro em relação ao Redmi Note 9, o que sugere uma falta de atenção a um recurso tão popular. Ponto para o M31.

Frontal

A justificativa de não haver maiores investimentos na teleobjetiva (câmera para fotos a distância) do Redmi Note 9 talvez esteja no efeito de profundidade por IA (inteligência artificial) na câmera de selfies. A frontal do modelo da Xiaomi também conta com filmagem em 120 FPS (quadros por segundo, em inglês) para produzir vídeos em câmera lenta.

Já o M31 tem uma melhor resolução. São 32 MP contra 16 MP do concorrente chinês. A descrição do aparelho no site da Samsung cita o foco dinâmico, para "destacar seu melhor lado", mas a ficha técnica informa que a câmera frontal não tem o recurso.

Veredito: Câmeras frontais de 32 MP não são tão comuns no mercado brasileiro, ainda mais na faixa de preço do M31. O aparelho da Samsung leva a melhor neste quesito também.

  • Galaxy M31: Processador Exynos 9611 octacore de 2,3 GHz, 6 GB de RAM e 128 GB de memória interna
  • Redmi Note 9 Pro: Processador Snapdragon 720G octacore (2,3 GHz), 6 GB de RAM e 128 GB de memória interna

Como os dois aparelhos estão iguais em termos de memória, vamos focar nos processadores. O chip escolhido para o M31 é o mesmo do A51, o Galaxy mais vendido do mundo em 2020. É um aparelho rápido, que aguenta muitos apps abertos em segundo plano, mas que pode ter uma experiência não muito boa em jogos.

O aparelho da Samsung tem um recurso que pode ser interessante aos gamers não muito exigentes. Trata-se do Game Booster, uma IA que aprende seus padrões de uso para otimizar a bateria, a temperatura e a memória do aparelho.

O gamer mais atento à qualidade deve focar mais no Redmi Note 9 Pro. Ele roda bem a maioria dos jogos em 60 FSP.

Veredito: No ranking do site AnTuTu, o Redmi Note 9 Pro aparece cerca de vinte posições acima do M31 e com mais de 85 mil pontos a mais. Mas o modelo da Samsung também aparece no top 100, pouco acima de modelos obsoletos da linha Redmi, como o Note 7, de 2019.

O Redmi Note 9 Pro tem o Modo Scanners, que digitaliza documentos e consegue corrigir cores e sombras, e Motor de Vibração Realística, que oferece 150 tipos diferentes de vibração.

O aparelho da Xiaomi também vem com o recurso de transmissão de dados NFC, que permite pagamentos via celular. A tecnologia não está disponível no Galaxy M31. Ambos os aparelhos não estão compatíveis para a rede 5G.

Veredito: Mesmo com a popularização de pagamentos via código QR, usar o NFC é um diferencial. Ponto positivo para o Redmi.

  • Galaxy M31: R$ 1599,00
  • Redmi Note 9 Pro: R$ 3.314,99

A maior virtude do Galaxy M31 é o seu preço. Chega a ser surpreendente um aparelho com tais configurações ser vendido por menos de R$ 2.000. A ausência de recursos extras no M31 mostra que este é um aparelho muito bom no que se propõe a oferecer.

O Redmi Note 9 Pro tem seus méritos, principalmente em termos de desempenho. O maior defeito dele, principalmente contra o M31, é o valor. Ainda que você o encontre em promoção em outras lojas, é possível comprar aparelhos melhores nessa faixa de preço.

Em se tratando de Xiaomi, a sugestão pode ser o Mi 10T Lite, que tem algumas configurações semelhantes às do Redmi Note 9 Pro, conta com processador mais recente (o Snapdragon 750) e já é compatível com 5G.

* Preços pesquisados em 31 de março de 2021. Para efeitos de comparação, usamos os valores oferecidos nas lojas oficias de ambas as marcas. Não foram considerados outros descontos ou promoções de pré-venda.