PUBLICIDADE
Topo

O que acontece se alguém pagar pelo WinRAR? Felipe Neto fez o teste

Divulgação
Imagem: Divulgação

Aurélio Araújo

Colaboração para Tilt

24/03/2021 14h30

O youtuber Felipe Neto decidiu fazer um experimento: comprar a licença do WinRAR, famoso programa de descompactação de arquivos, para usá-lo. Seu post sobre a iniciativa transformou o software em um os assuntos mais comentados do Twitter no Brasil nesta quarta-feira (23).

O custo, de acordo com recibo postado por Felipe Neto em seu perfil no Twitter, foi de R$ 126,56, dos quais R$ 100 foram pelo software e outros R$ 26,56, por sua manutenção.

No entanto, segundo o influenciador digital, a grande diferença que notou ao comprar o WinRAR foi o sumiço da mensagem sobre a expiração do teste. De resto, o funcionamento continua igual, relatou.

O WinRAR é um dos mais famosos softwares para compactar e descompactar arquivos na internet. Ele também é conhecido por avisar que sua versão grátis é temporária, e que, em 40 dias, quem usá-lo deve ou comprar o software ou apagá-lo de seu computador. Mesmo assim, ele não deixa de funcionar depois desse prazo. Ou seja, nada muda se você não comprar nem apagar.

A ideia por trás do teste infinito

Mas por que, para quem não quer desembolsar dinheiro pelo serviço, o teste grátis do WinRAR nunca termina? O diretor-executivo do WinRAR, Burak Canboy, esclareceu a estratégia por trás disso em uma entrevista ao site espanhol Softonic em 2013.

De acordo com ele, todos os softwares sofrem com pirataria. O fato de o WinRAR não deixar de funcionar após 40 dias mantém as pessoas usando-o, em vez de abandoná-lo por um software pirata.

Ele admitiu que isso afeta o crescimento da empresa, mas que, internamente, o WinRAR acredita que afeta menos do que se eles impedissem as pessoas de usar o produto.

Fidelização e memes

WinRAR - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

Além disso, se você continuar usando o WinRAR mesmo após o período de teste gratuito, é provável que o recomende a outras pessoas, aumentando a base de usuários do software.

Na mesma entrevista, Canboy disse: "nós podemos dizer com orgulho que o WinRAR é o software mais usado em PCs depois do Microsoft Windows".

Segundo o site oficial da empresa, 500 milhões de pessoas ao redor do mundo usam o serviço.

O diretor-executivo disse ainda que gosta muito dos memes sobre essa estratégia da companhia. O seu favorito é um em que o físico Albert Einstein é indicado como autor da frase: "duas coisas são infinitas: o universo e o teste do WinRAR. E eu não tenho certeza quanto ao universo".

"Annoyware"

Além disso, existem outras explicações sobre o período de testes do WinRAR. Entre os internautas, por exemplo, circula a expressão "annoyware" para esse tipo de software — o verbo "annoy" vem do inglês, e quer dizer "irritar".

Ou seja, há softwares que costumam exibir uma mensagem pedindo para que a pessoa que o use se registre e pague uma taxa. Normalmente, isso é feito por uma janela pop-up, que abre quando o software é iniciado. Com isso, a ideia é irritar a pessoa, até que ela considere que é melhor pagar para que a mensagem desapareça.

Pode parecer estranho, mas o raciocínio por trás disso é o seguinte: é melhor deixar todos usarem o WinRAR gratuitamente enquanto se pede dinheiro, porque algumas pessoas vão de fato pagar, do que tornar o software inacessível depois de um período, o que o faria ser abandonado em troca de outro software similar.