PUBLICIDADE
Topo

Após ter algoritmo acusado de racismo, Twitter muda recorte de fotos

De Tilt, em São Paulo

11/03/2021 08h28

Após ter seu algoritmo acusado de racismo por privilegiar rostos brancos, o Twitter anunciou nesta semana que está experimentando uma nova maneira de exibir imagens em seus aplicativos para Android e iOS.

A novidade é que a rede social não deve mais usar algoritmos para encontrar o melhor recorte para a imagem. Em vez disso, o Twitter vai testar exibir a imagem que o usuário carregou no seu formato original, sem cortes.

No ano passado, testes realizados por usuários do Twitter provaram que a tecnologia por trás da rede social privilegiava rostos brancos em detrimento de rostos negros no recorte automático de imagens compartilhadas pelos internautas com mais de uma pessoa nelas.

A empresa chegou a reconhecer o viés discriminatório do algoritmo, dizendo que ele foi treinado para destacar aquilo que, em teoria, chama mais a atenção numa imagem. Mas reconheceu que a inteligência artificial tinha problemas e prometeu corrigir.

Após a polêmica se espalhar, o Twitter afirmou que iria diminuir a influência dessa inteligência artificial no recorte das imagens publicadas por usuários, com a intenção de dar mais poder para as pessoas escolherem qual recorte usar nas fotos.

O teste iniciado nesta semana com os aplicativos do Twitter para Android e iOS não tem previsão para acabar ou para ser transformado em um recurso fixo da rede social. Mas parece ser uma forma de como a empresa deve lidar para que o problema não se repita.