PUBLICIDADE
Topo

Robôs usados para entrega de produtos ganham direitos de pedestres nos EUA

Scout é o robô entregador da Amazon; empresa realiza testes em diversas cidades dos EUA - Divulgação
Scout é o robô entregador da Amazon; empresa realiza testes em diversas cidades dos EUA Imagem: Divulgação

Felipe Oliveira

Colaboração para Tilt

07/03/2021 12h59

Parar na faixa de pedestres enquanto se está dirigindo para deixar as pessoas atravessarem vai além de um sinal de gentileza, mas também de compreender a preferência que eles possuem quando ali estão. Mas você já imaginou o quanto seria estranho ter de parar seu carro para que um robô atravesse a rua?

Pois é exatamente este movimento que está ocorrendo nos Estados Unidos. À medida que os chamados "robôs de calçada", utilizados pela Amazon, Starship e Fedex para fazer entregas, se proliferam pelas ruas das cidades, eles começam a ganhar alguns direitos. E a Pensilvânia decidiu classificá-los como "pedestres", de acordo com o site "Axios".

Além da Pensilvânia, estados como Virgínia, Idaho, Flórida e Wisconsin já aprovaram regras que permitem que os robôs operem nas calçadas. Mas as regras da Pensilvânia são realmente mais liberais e permitem que os robôs, que podem pesar até 250 quilos, trafeguem nas calçadas a uma velocidade de até 19 km/h.

Robô de entrega da startup Starship circulando por campus universitário - Divulgação - Divulgação
Robô de entrega da startup Starship circulando por campus universitário
Imagem: Divulgação

Quando não estão nas calçadas ou áreas de pedestres, os Dispositivos de Entrega Pessoal (PDDs, na sigla em inglês) podem viajar em estradas ou acostamentos a 40 km/h.

Contudo, o projeto de lei também traz algumas restrições aos robôs, como não poder transportar materiais perigosos, serem obrigados a viajar na mesma direção do trânsito e ceder o direito de passagem para todos os pedestres e ciclistas.

Roxo é o robô entregador da Fedex - Reprodução/YouTube - Reprodução/YouTube
Roxo é o robô entregador da Fedex
Imagem: Reprodução/YouTube

Polêmicas da legislação

Mas nem tudo são flores para os defensores dos robôs. As regras causaram polêmicas, com diversas manifestações contra a aprovação.

Primeiramente, o projeto de lei teria causado um embate entre republicanos e democratas, com o segundo grupo alegando que se tratava de um assassinato de empregos, já que os robôs tomariam o lugar de entregadores, segundo o jornal "Pittsburgh City Paper".

O Teamsters, sindicato formado por várias organizações de caminhoneiros, também se mostrou contra a aprovação da lei. Já o Bike Pittsburgh, um grupo de defesa de pedestres, afirmou que 19 km/h é rápido demais para o trajeto na calçada, considerando que a velocidade média dos pedestres é de 5 a 6 km/h.

"E em uma cidade como Pittsburgh, temos calçadas estreitas. Algumas dessas coisas podem ser do tamanho de uma geladeira. Como vamos contornar isso?", declarou Eric Boerer, do Bike Pittsburgh ao "Pittsburgh City Paper".

Amazon já realiza entregas

A Amazon já começou a utilizar seu robô, chamado de Scout, para realizar algumas entregas nos Estados Unidos. Em nota divulgada pela empresa no início da operação, ainda em 2019, não ficou claro como os robôs serão transportados até o bairro de entrega, mas ela afirmou que assim que estiver no local (provavelmente levado por um caminhão), o Scout desce do veículo e segue em direção ao endereço do comprador.

No final, o usuário retira o produto de dentro do Scout e ele retorna para onde deve ir.