PUBLICIDADE
Topo

Menos barulho e eficiência: Nasa inicia testes com avião elétrico

Imagem do avião conceito X-57, da Nasa; agência quer criar modelo elétrico que seja mais silencioso e eficiente - Nasa
Imagem do avião conceito X-57, da Nasa; agência quer criar modelo elétrico que seja mais silencioso e eficiente Imagem: Nasa

Luiza Rubio

Colaboração para Tilt

06/03/2021 11h03

A Nasa, agência espacial americana, se prepara para iniciar os testes preliminares do X-57 Maxwell, sua primeira aeronave de propulsão totalmente elétrica. O objetivo do projeto é auxiliar o governo americano a estabelecer parâmetros para certificação de modelos que venham a surgir no mercado com o propósito de serem mais eficientes, silenciosos e amigáveis para o meio ambiente do que aeronaves comuns.

Neste momento, a pesquisa está na fase GVT (Ground Vibration Testing) que testa o veículo em vários níveis de vibração. Esta está sendo realizada, simultaneamente aos testes de controle de cruzeiro (espécie de controle de velocidade), na Califórnia no Centro de Pesquisa de Voo Neil A. Armstrong. Este tipo de avaliação ajuda os engenheiros a examinar e validar a integridade do veículo para condições de voo.

O projeto do X-57 consiste em asas finas sob medida para aumentar a eficiência, reduzindo o arrasto em voo. Além disso, conta com 12 casulos de motores elétricos com hélices individuais e duas hélices maiores nas pontas das asas, responsáveis pela propulsão para decolagem e pouso.

A configuração da aeronave utiliza nesta fase de verificação um sistema de suporte de bateria com fonte de alta voltagem. Os testes iniciarão em baixa potência para a checagem de sequências de início e desligamento nos softwares desenvolvidos para o controle do motor.

Um dos grandes desafios de se fazer um avião elétrico é a bateria. Até o momento não há opções que viabilize um comercial, pois exigem uma densidade de energia muito grande, transformando a aeronave numa espécie de bigorna.

Estes programas, assim como outros importantes componentes do projeto, foram baseados em testes prévios feitos pela ESAero (Empirical Systems Aerospace) na cidade de San Luis Obispo, também no estado da Califórnia.

Logo depois, serão testadas operações de alta-potência para verificar se as hélices giram conforme o planejado e se seus sensores são funcionais. Com o sinal positivo, o X-57 estará então apto para operações de taxiamento.

"Muitos membros operantes nestes testes serão os mesmos que estarão na sala de controle durante os voos, e é por isso que estou animado!" disse Sean Clarke, principal pesquisador do X-57 da NASA. "O que eles estão aprendendo nestes testes levarão para a sala de controle para o primeiro voo".

Com a conclusão do projeto, a aeronave elétrica poderá melhorar a eficiência de voo em 500% ao navegar em alta velocidade sem gerar emissões e fazendo muito menos ruído do que as aeronaves convencionais.

Além da Nasa, há várias iniciativas de criação de um avião elétrico comercial. A britânica Rolls-Royce e a brasileira Embraer, por exemplo, contam com projetos do tipo. Até o momento, de concreto, há apenas alguns poucos modelos que ficam no ar por um tempo limitado, como comprovou um teste feito no Canadá em que uma aeronave elétrico ficou no ar por 15 minutos.