PUBLICIDADE
Topo

O que são fadas vermelhas e jatos azuis vistos em tempestade de raios?

Fotografia foi tirada no Havaí, em 2017 - International Gemini Observatory/NOIRLab/NSF/AURA/A. Smith
Fotografia foi tirada no Havaí, em 2017 Imagem: International Gemini Observatory/NOIRLab/NSF/AURA/A. Smith

Lucas Santana

Colaboração para Tilt

28/02/2021 04h00

Fotografias tiradas no Havaí em 2017 e reveladas somente nesta semana mostram o momento em que impressionantes raios azuis e vermelhos surgem no céu do Oceano Pacífico em imagens que parecem ter saído direto de algum filme da Marvel. Elas foram capturadas por uma câmera de monitoramento meteorológico nas instalações do telescópio Gemini Norte, em Mauna Kea, ilha do arquipélago dos EUA.

Mas o que são esses raios coloridos? Eles são conhecidos entre observadores do céu noturno e cientistas como fadas vermelhas e jatos azuis. Diferentemente dos raios que estamos acostumados a ver durante uma tempestade, eles surgem em camadas diferentes do céu e vão em direção ao espaço. Já os raios comuns, quando não ocorrem entre nuvens, em sua maioria, vão em direção ao solo.

As fadas vermelhas são descargas ultra velozes de eletricidade que se dispersam nas camadas mais altas da atmosfera, de 50 a 70 quilômetros de altura. Têm formatos de verticais, como aquelas capturadas nas imagens do Observatório Gemini, mas podem parecer também com águas-viva no céu. O nome do fenômeno vem justamente das suas cores, que lembram os feitiços de fadas das histórias de fantasia.

Os jatos azuis são descargas elétricas mais brilhantes e nascem mais próximos ao solo, sobre imensas nuvens de tempestade. Eles são lançados para cima a 45 quilômetros do chão, quando então se dispersam.

Quando uma tempestade de raios atinge o solo, ela lança energia elétrica positiva, que precisa ser balanceada por uma quantidade igual de energia carregada negativa em algum local do céu. As fadas vermelhas e jatos azuis surgem nesse contexto para balancear a equação, gerando o show de luzes coloridas.

Não espere vê-los a olho nu

Os eventos são lindos, mas difíceis de capturar. Ambos acontecem muito rápido, a pelo menos 30 mil km/h. Somente câmeras especiais, como as do Observatório Gemini, conseguem fotografar o espetáculo nos décimos de segundo que acontecem. É comum que esses raios surjam encobertos por nuvens, o que dificulta ainda mais sua observação.

"Fadas geralmente surgem muito rápido, escuras demais, como estruturas cinzentas para os olhos nus. Você precisa estar procurando para achá-las. Geralmente eu não tenho certeza se consegui ver uma até que eu confira o material na minha câmera", explicou Stephen Hummel para o site da Business Insider. O especialista em observação noturna capturou uma incrível fada vermelha em formato de água-viva em julho do ano passado próximo da cidade de Mount Locke, no Texas (EUA).

Fenômeno pode ser visto do espaço

Os raios alcançam alturas tão impressionantes que podem ser vistos da Estação Espacial Internacional, a 250 quilômetros do solo. Em 2015, o astronauta da Agência Espacial Europeia Andreas Morgensen filmou a ocorrência de jatos azuis enquanto sobrevoava uma tempestade na baía de Bengala, na Índia. Até hoje, o registro é considerado um dos mais impressionantes desse tipo de fenômeno.

Confira as imagens abaixo: