PUBLICIDADE
Topo

Mensagens do WhatsApp ficarão bloqueadas se você não aceitar novas regras

Mudança faz parte de nova política de privacidade do WhatsApp - Arte UOL
Mudança faz parte de nova política de privacidade do WhatsApp Imagem: Arte UOL

Felipe Oliveira

Colaboração para Tilt

22/02/2021 12h59

As novas regras do WhatsApp geraram polêmica após o aplicativo anunciar que seria obrigatório o compartilhamento de dados dos usuários junto ao Facebook. Depois de precisar esclarecer melhor que essa troca não envolve conversas pessoais, a empresa detalhou o que vai acontecer com quem não aceitar os novos termos da plataforma.

"Por um curto período, você ainda poderá receber chamadas e notificações, mas não poderá ler nem enviar mensagens pelo app", diz um texto publicado na página "Perguntas e Respostas" do WhatsApp).

O "curto período" anunciado pelo WhatsApp é de 120 dias. Ou seja, quem não aceitar os termos até 15 de maio terá a conta excluída do aplicativo mensageiro após esse período. "O conteúdo armazenado no aparelho do usuário antes de a conta ser apagada será mantido até que o usuário apague o WhatsApp de seu aparelho", diz.

As mudanças recentes na política de uso da empresa envolvem o WhatsApp Business, que serve para que empresas e clientes se comuniquem. Após o prazo, as companhias poderão compartilhar sua base de dados com a plataforma corporativa do Facebook.

Exportar o histórico

Você pode estar se perguntando se, caso não aceite os termos, perderá todas as mensagens trocadas pelo aplicativo. Sobre isso, o WhatsApp afirmou que até o dia 15 de maio será possível exportar o histórico de conversas no Android ou iPhone e baixar um relatório dos dados.

"Se preferir, você poderá apagar sua conta no Android, iPhone ou KaiOS, mas esperamos que você reconsidere essa decisão. Essa ação é irreversível porque apagará seu histórico de mensagens, removerá você dos grupos dos quais você participa e apagará seus backups do WhatsApp", diz o aplicativo no texto.

Polêmica

Em sua plataforma, o WhatsApp detalha a gama de informações que podem ser disponibilizadas a outras empresas do grupo Facebook. Entre elas estão o número de telefone, informações sobre o aparelho, incluindo a marca, modelo e a empresa de telefonia móvel, o número de IP, que indica a localização da conexão à internet, e qualquer pagamento ou transação financeira realizada através do WhatsApp.

Também podem ser compartilhados números de contatos, atualizações de status, dados sobre a atividade do usuário no aplicativo (como tempo de uso ou o momento em que ele está online), foto de perfil, entre outros.

Os novos termos, anunciados pelo WhatsApp em janeiro, provocou uma onda de críticas. O empresário Elon Musk, presidente-executivo da Tesla, sugeriu a migração para o concorrente Signal. Outros propuseram o Telegram.

União Europeia e o Reino Unido, contudo, serão exceções. Devido a acordos firmados com organizações de proteção de dados da região, a empresa não vai impor o compartilhamento de informações — o que foi interpretado por alguns como uma vitória da rígida legislação sobre privacidade e proteção de dados pessoais que a região vem implementando nos últimos anos.