PUBLICIDADE
Topo

Apple Watch agora vai avisar se o seu condicionamento físico está baixo

Dados são medidos a partir dos batimentos cardíacos e do índice VO2 máx - Divulgação
Dados são medidos a partir dos batimentos cardíacos e do índice VO2 máx Imagem: Divulgação

Bruna Souza Cruz

De Tilt, em São Paulo

14/12/2020 15h00

Os donos do Apple Watch passarão a ter acesso a dados mais precisos sobre o próprio condicionamento cardiovascular a partir desta segunda-feira (14). A Apple começa a disponibilizar hoje o watchOS 7.2, nova versão do sistema operacional do relógio, que traz a novidade.

Segundo a empresa, o smartwatch melhorou os parâmetros de monitoramento do VO2 máx, um índice de saúde ligado à aptidão cardiorrespiratória. Basicamente, é uma métrica que analisa a quantidade de oxigênio que o nosso corpo usa durante as atividades físicas.

Quanto mais elevado o nível, mais saudável a pessoa tende a estar.

"Ao melhorar o VO2 máximo você também pode ter uma melhora na saúde em geral, melhor qualidade de vida, redução de riscos de AVC, redução de problemas cardiovasculares, redução de diabetes, melhora do humor e sono, sendo que uma queda nesse VO2 pode estar correlacionado a um risco aumentado de problemas cardiovasculares", explicou Paola Machado, mestre em ciência da saúde, recentemente em sua coluna em VivaBem.

Com a atualização do sistema, o relógio vai conseguir fazer uma estimativa e mostrar para o usuário se o seu condicionamento cardiovascular está: alto, acima da média, abaixo da média ou baixo. As informações aparecerão no item "Cardio Fitness", dentro do aplicativo Saúde do iPhone.

Apple Watch - tela mostra nível baixo de aptidão cardiorrespiratória  - Divulgação - Divulgação
Tela mostra nível baixo do índice
Imagem: Divulgação

Se o nível cardiovascular cair, a pessoa recebe uma notificação avisando sobre a queda do índice junto com orientações sobre como melhorar ao longo do tempo. Orientações para uma conversa com um médico também podem fazer parte do aviso.

Apesar da versão Apple Watch Series 6 (lançada em setembro deste ano) trabalhar com um sensor de oxigênio no sangue, a Apple diz que os recursos funcionam separadamente. Por isso, a novidade é compatível com Apple Watch a partir do modelo series 3.

Como o monitoramento funciona

O Apple Watch usa os dados coletados dos batimentos cardíacos do pulso. A frequência cardíaca é medida com ajuda de tecnologias que detectam a quantidade de sangue que flui pelo pulso, com ajuda de luzes de LED e infravermelha.

"O Apple Watch usa LEDs verdes associados a fotodiodos sensíveis à luz (...). Quando o coração bate, o fluxo sanguíneo no pulso é maior. Entre batimentos, o fluxo é menor. Ao piscar os LEDs centenas de vezes por segundo, o Apple Watch pode calcular o número de vezes que o coração bate a cada minuto, ou seja, sua frequência cardíaca", explica a Apple em seu site.

O sensor consegue captar um intervalo de 30 a 210 batimentos por minuto.

A partir disso, o sistema operacional do smartwatch calcula essas informações e compara os dados de cada indivíduo com níveis médios obtidos por pessoas da mesma faixa etária e do mesmo sexo, tornando o monitoramento mais preciso — o condicionamento cardiorrespiratório sofre influência de parâmetros como idade, sexo e de doenças pré-existentes.

De acordo com a Apple, o relógio faz as medições mesmo durante a movimentação do dia a dia, e não somente com um exercício de grande impacto. Até então, o smartwatch era capaz de medir o VO2 máximo somente com os níveis mais altos — como em uma corrida, por exemplo.

Com isso, atualização do sistema permite que o relógio calcule a aptidão cardiorrespiratória de usuários que não se exercitam com tanta intensidade. A ideia é que eles sejam notificados e se sintam motivados a aumentarem o ritmo de exercícios e melhore a saúde, de acordo com a Apple.