PUBLICIDADE
Topo

Internet brasileira completa 25 anos com privacidade e 5G em pauta

Estúdio Rebimboca/UOL
Imagem: Estúdio Rebimboca/UOL

Lucas Carvalho

De Tilt, em São Paulo

06/12/2020 11h16

Em 2020, a internet brasileira completa 25 anos. Embora tenha chegado ao país em 1988, foi só em 1995 que a rede mundial de computadores deixou os laboratórios das universidades e se tornou um bem comercial, com o lançamento do serviço de internet discada da Embratel.

A festa de aniversário será no Internet Festival, evento 100% online e gratuito que será realizado entre os dias 7 e 14 de dezembro. Serão palestras, cursos, oficinas e outras atividades com o intuito de discutir privacidade de dados, redes sociais, notícias falsas, 5G, o passado e o futuro da web.

Mas há o que comemorar? "A internet, como espaço de discussão, ficou muito maior e acirrou ânimos. E os modelos de atração e manutenção dos visitantes geraram bolhas auto-protetivas de pensamento homogêneo", diz Demi Getschko, diretor-presidente do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (Nic.br) e um dos palestrantes do evento.

O Nic.br é responsável por implementar as decisões e os projetos do Comitê Gestor da Internet no Brasil, criado em 1994 para coordenar e integrar as iniciativas e serviços da internet no Brasil. Uma espécie de zelador da web.

Ânimos acirrados e bolhas de pensamento homogêneo são fruto das redes sociais, que existem desde os primórdios da internet, com serviços como o Friendster e o Myspace, de 2003, e o Orkut, de 2004 — mesmo ano em que nasceu o Facebook, hoje um gigante com mais de 3 bilhões de usuários só em sua plataforma principal (sem contar WhatsApp e Instagram).

Mas, além do impacto comportamental das redes sociais, a internet brasileira também teve de lidar com a privacidade de seus usuários, conforme mais e mais pessoas despejavam suas informações pessoais em plataformas que, mais de uma vez, demonstraram não ter total controle sobre quem acessa esses dados.

"A característica aberta e extrovertida do brasileiro fez com que a adoção das redes sociais fosse exuberante! É um ambiente que estimula a interação entre todos e isso, naturalmente, já expõe os usuários. Um amadurecimento viria gradualmente e, agora com a LGPD [Lei Geral de Proteção dos Dados], fica ainda mais clara a importância de sermos moderados no que publicamos", diz Getschko.

Apesar de tudo isso, Dorian Lacerda, idealizador do Internet Festival, acredita que há motivos para celebrar os 25 anos da internet. "A celebração é um rito que une as pessoas e as faz se reconhecerem, reverem o legado que traçaram até hoje. Dentro de tudo que aconteceu em 2020, o saldo é positivo e temos muito o que celebrar."

Aniversário complicado

Em 2020, a internet foi protagonista em um mundo assolado pela pandemia de covid-19. Estabelecimentos fechados tiveram que se digitalizar às pressas e o comércio eletrônico passou a segurar quase sozinho o peso de uma economia paralisada.

A internet potencializou novas ferramentas para acelerar essa transformação digital da economia, dando asas para fintechs, bancos digitais, carteiras virtuais e transferências instantâneas, como aquelas possibilitadas pelo procolo Pix, lançado em 2020 pelo Banco Central.

"O lançamento de pagamentos instantâneos no Brasil faz parte de um movimento maior de mais conectividade e desburocratização do mercado local", diz Sarah Buchwitz, vice-presidente de marketing e comunicação da Mastercard Brasil e uma das palestrantes do Internet Festival.

"Um claro exemplo de como a economia tem conseguido se tornar mais inclusiva com o processo de transformação digital, foi a redução de 25% do número de desbancarizados na América Latina durante a pandemia de covid-19", acrescenta ela, citando dados de uma pesquisa realizada pela Mastercard.

De olho nos próximos 25 anos

A perspectiva para o futuro é de que o avanço da tecnologia potencialize ainda mais as qualidades e os defeitos da rede mundial de computadores.

Programado para 2021, o leilão do 5G permitirá que empresas explorem ofertas de internet móvel de quinta geração com velocidade e latência mais eficientes do que nunca. Uma revolução técnica que promete de tudo, de drones fazendo delivery a carros dirigindo sem motoristas.

"Esta é uma evolução que não sabemos onde irá parar, ou melhor, a única certeza que temos é que não irá parar", diz Felipe Garcia, head de marketing da Nokia no Brasil e palestrante do Internet Festival. A Nokia já experimenta com redes 5G no país e recentemente bateu recorde de velocidade de transferência de dados: 4,1 gigabits por segundo.

Para ele, a prioridade é que "todos estes avanços tragam benefícios ao Brasil, colocando as pessoas em primeiro lugar, preservando e fortalecendo a segurança e confiança digital e garantindo que os avanços promovam a sustentabilidade do planeta".

Serviço

Internet Festival 2020