PUBLICIDADE
Topo

Ministério da Saúde apura falha que expôs dados de 240 mi de brasileiros

Getty Images
Imagem: Getty Images

Renata Baptista

De Tilt, em São Paulo

02/12/2020 19h26

Menos de um mês após ter sofrido um ataque hacker que provocou atrasos na atualização de notificações de covid-19 no país, o Ministério da Saúde voltou a enfrentar problemas com falhas de segurança. A pasta informou que está apurando a possível exposição indevida de dados pessoais de mais de 240 milhões de brasileiros.

O número de pessoas que tiveram dados expostos —cerca de 243 milhões — é maior que o número de habitantes do país (210 milhões), pois no banco constavam informações de alguns pacientes que morreram. A brecha teria ocorrido por um período de pelo menos seis meses.

O ministério informou, por meio de nota, que o problema já foi corrigido. "Ações de segurança estão sendo tomadas para impedir novos incidentes, assim como ações administrativas para apurar o ocorrido", diz a nota.

Segundo reportagem publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo, a falha permitiu que dados como nome, endereço completo, telefone e CPF de todas as pessoas cadastradas no SUS (Sistema Único de Saúde) ou que tenham aderido a um plano de saúde ficassem livres para consultas.

De acordo com a investigação do jornal, o problema foi causado pela exposição indevida de login e senha de acesso ao sistema que armazena os dados cadastrais dos brasileiros no Ministério da Saúde.

O Ministério da Saúde afirmou, na nota, que segue protocolos de segurança e proteção de dados, que são constantemente avaliados e aprimorados para mitigar exposições. "Os incidentes reportados estão sendo investigados para apurar a responsabilidade da exposição da base cadastral do MS [Ministério da Saúde]", afirma a nota.