PUBLICIDADE
Topo

Cansou de ficar sem carga? Veja 5 celulares bons de bateria

Unsplash
Imagem: Unsplash

Thiago Varella

Colaboração para Tilt

27/11/2020 04h00

Uma das características mais importantes para quem está em busca de um celular novo é a capacidade da bateria. Não é nada legal precisar do smartphone e perceber que a carga acabou e não tem como carregá-lo.

Se você cansou de ficar sem bateria no meio do dia, fizemos uma lista com cinco celulares que prometem bastante carga e vão reduzir drasticamente suas visitas à tomada.

Redmi Note 9

Xiaomi Redmi Note 9 - Divulgação - Divulgação
Xiaomi Redmi Note 9
Imagem: Divulgação

A chinesa Xiaomi tem um séquito de fãs aqui por terras brasileiras, principalmente por fabricar celulares com preços acessíveis e de boa qualidade. O Redmi Note 9 é um smartphone intermediário com câmera traseira quádrupla, uma tela boa para jogos e vídeos e, claro, por ter uma bateria que dura bastante.

O Redmi Note 9 tem uma bateria de 5.020 mAh que garante, no mínimo, um dia e meio de uso moderado sem precisar levar o aparelho para a tomada. Se você for um usuário mais avançado, daqueles que não desgrudam o olho do celular por um minuto, a carga deve suportar boa parte do dia; à noite, ele vai pedir uma recarga.

Nos testes feitos pelo Tilt, o Redmi Note 9 apresentou alguns problemas de performance, como algumas travadas dependendo do aplicativo aberto. Este é o principal problema do aparelho, que pode ser encontrado a preços bem convidativos nas marketplaces.

Ficha técnica: Redmi Note 9

  • Tela: 6,53 polegadas Full HD+
  • Memória: 3 GB/4 GB de RAM e 64 GB/128 GB de armazenamento
  • Câmeras: traseira quádrupla (48 MP + 8 MP + 2 MP + 2 MP) e frontal (13 MP)
  • Processador: Helio G85 MediaTek
  • Bateria: 5.020 mAh
  • Preço: a partir de R$ 1.400

Galaxy M31

Parte frontal do Galaxy M31, da Samsung - Gabriel Francisco Ribeiro/UOL - Gabriel Francisco Ribeiro/UOL
Smartphone Galaxy M31 tem bateria de 6.000 mAh
Imagem: Gabriel Francisco Ribeiro/UOL

Quando o Galaxy M31 da Samsung chegou ao mercado brasileiro, em julho, nenhum outro celular da empresa coreana tinha uma bateria tão poderosa. Claro que isso mudou com a chegada do Galaxy M51 (daqui a pouco a gente fala nele), mas isso não significa que os 6.000 mAh de capacidade devam ser desprezados.

Ainda hoje, é difícil encontrar um aparelho com uma bateria tão poderosa. Os celulares, digamos, bons de bateria que a gente acha no mercado tem em torno de 5.000 mAh de capacidade. Além disso, o Galaxy M31 ainda vem com um carregador de 15W, para carregamento rápido.

Fora a bateria, o celular também vem com um bom conjunto de quatro câmeras traseiras, grava vídeos em 4K e oferece recursos como timelapse (que comprimem intervalos longos de tempo), câmera lenta e estabilização de imagem. No restante, é um smartphone intermediário, com processador Exynos 9611, da própria Samsung, e 6 GB de memória RAM.

Ficha técnica: Galaxy M31

  • Tela: 6,4 polegadas Full HD+ Amoled
  • Processador: Exynos 9611
  • Câmera: traseira quádrupla (64 MP + 8 MP + 5 MP + 5MP) e frontal (32 MP)
  • Memória: 6 GB de RAM e 128 GB de memória interna
  • Bateria: 6.000 mAh
  • Preço: R$ 1.500

Moto G8 Power

moto g8 power - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

O Moto G8 Power, da Motorola, é, sem dúvida, um celular bom de bateria. Com capacidade de 5.000 mAh, é capaz de aguentar dois dias sem nem chegar perto da tomada. Nos testes feitos pelo Tilt, foram 34 horas de uso com 10h37 de tela ligada. Ou seja, se você estiver procurando um smartphone com autonomia de carga, esse aqui pode ser uma ótima pedida.

O problema é que tirando a bateria e o carregador rápido de 18W, o celular não é lá tão interessante assim. O desempenho é razoável, e o design não é lá atrativo.

Por ser um celular do começo do ano, é possível encontrar o Moto G8 Power a preços convidativos. Ou seja, é um celular intermediário com um bom custo-benefício.

Ficha Técnica: Moto G8 Power

  • Tela: 6,4 polegadas, IPS LCD resolução Full HD+ (2.300 x 1.080 pixels)
  • Sistema operacional: Android 10
  • Processador: Snapdragon 665 octa-core (2.0 GHz)
  • Câmeras: Traseira: 16 MP (principal) + 8 MP (telefoto) + 8 MP (ângulo aberto) + 2 MP (macro) e frontal de 16 MP
  • Memória: 4 GB de RAM e 64 GB de armazenamento
  • Bateria: 5.000 mAh
  • Preço: R$ 1.200

Moto G9 Play

Moto G9 Play - Divulgação - Divulgação
Moto G9 Play
Imagem: Divulgação

O Moto G9 Play tem a mesma bateria de 5.000 mAh do Moto G8 Power, mas é um smartphone diferente. Claro, segue na linha dos intermediários, mas conta, por exemplo, com um processador Snapdragon 662, que permite o uso de inteligência artificial para ajudar no uso da câmera.

Aliás, a câmera traseira desse celular é tripla e conta com um sensor principal de 48 MP com Night Vision e Quad Pixel —ou seja, tira boas fotos à noite e traz mais detalhes nas imagens— além de um sensor macro para fotografar pequenos objetos.

O preço também é bem interessante. O Moto G9 Play pode ser encontrado por cerca de R$ 1.600. Sem dúvida, mais um modelo com um ótimo custo-benefício e que não vai deixar você sem bateria por aí.

Ficha Técnica: Moto G9 Play

  • Tela: 6,5 polegadas, resolução HD+ (720 x 1600)
  • Sistema operacional: Android 10
  • Processador: Snapdragon 662
  • Câmeras: Traseira tripla (48 MP da principal, 2 MP da macro e 2 MP da de profundidade) e frontal de 8 MP
  • Memória: 4 GB de RAM e 64 GB de armazenamento
  • Bateria: 5.000 mAh
  • Preço: R$ 1.599

Galaxy M51

Galaxy M51 - Divulgação - Divulgação
Galaxy M51 tem a maior bateria do mercado
Imagem: Divulgação

Não existe celular no mercado brasileiro com uma bateria mais potente do que a do Galaxy M51, da Samsung. São 7.000 mAh de capacidade e a promessa de ficar bastante tempo longe da tomada.

O Tilt ainda não testou esse aparelho para saber exatamente quanto de autonomia. Isso, aliás, depende de diversos fatores, como desempenho e resolução de tela, por exemplo. Mas, ao julgar pela capacidade da bateria, é bem provável que aguente dois dias seguidos de uso.

Outro ponto positivo é o carregamento rápido. O Galaxy M51 tem carregador de 25W e tecnologia de compartilhamento de energia sem fio —ou seja, o aparelho serve como fonte de energia para o carregamento de outro.

O smartphone tem um bom conjunto quádruplo de câmeras traseiras, telas de 6,7 polegadas, Super Amoled e Full HD+, processador octa-core —a empresa não divulgou qual, mas segundo o site GSM Arena é o Snapdragon 730G (2,2 GHz)— e 6 GB de memória RAM. O problema é que um celular intermediário desses, com algumas características de top de linha, é um pouco mais caro que seus concorrentes diretos e custa cerca de R$ 3.500.

Ficha técnica: Galaxy M51

  • Tela: 6,4 polegadas (1.080 x 2.340 pixels) Super Amoled
  • Cores: branco e preto
  • Câmera: traseira de 64 MP (principal), 12 MP (grande angular), 5 MP (macro) e 5 MP (profundidade); frontal de 32 MP
  • Processador: Snapdragon 730G (2,2 GHz)
  • Memória: RAM de 6 GB, armazenamento interno de 128 GB
  • Bateria: 7.000 mAh
  • Preço: R$ 3.500

Veredito

Nenhum celular aqui da lista ganha do Galaxy M51 quando o assunto é bateria. Além disso, o smartphone tem diversas características de um top de linha como as câmeras e a tela. A questão aqui é o preço. O aparelho custa cerca de R$ 3.500.

O Redmi Note 9 é um bom celular para quem, além de bateria, quer tirar boas fotos e busca uma tela grande para vídeos. E, como todo Xiaomi, basta procurar direitinho para achar o smartphone a um preço convidativo.

Já o Galaxy M31, além da bateria poderosa, tem um bom preço e um ótimo conjunto de câmeras. Se seu foco for performance, melhor deixar para lá.

O Moto G8 Power é um smartphone para quem procura uma boa autonomia de bateria e nada mais além disso. De resto, é um aparelho simples, que não oferece muitas vantagens. O preço baixo comparado aos concorrentes aqui da lista pode fazer o celular valer a pena. Já o Moto G9 Play já é um smartphone mais robusto, com uma performance melhor e câmeras triplas mais interessantes.