PUBLICIDADE
Topo

Quem dá mais? 1ª selfie tirada no espaço está à venda por mais de US$ 4 mil

Selfie tirada pelo astronauta Buzz Aldrin - Christie"s Auction
Selfie tirada pelo astronauta Buzz Aldrin Imagem: Christie's Auction

Marcella Duarte

Colaboração para Tilt

12/11/2020 19h08

Uma coleção de 2.400 imagens históricas da Nasa, incluindo a primeira selfie tirada no espaço, estão sendo leiloadas. A rara foto, tirada pelo sorridente astronauta Buzz Aldrin, em novembro de 1966 na missão Gemini XII, já recebeu três lances, chegando ao valor de US$ 4.410 (quase R$ 25 mil na cotação de hoje).

O item mais caro do acervo é a única fotografia da primeira vez que Neil Armstrong andou na Lua, em julho de 1969 na missão Apollo 11, que agora está valendo US$ 32.760 (R$ 180 mil na cotação de hoje).

Imagem de Neil Armstrong andando na Lua também pode ser adquirida no leilão -  Science & Society Picture Library/Getty Images -  Science & Society Picture Library/Getty Images
Imagem de Neil Armstrong andando na Lua também pode ser adquirida no leilão
Imagem: Science & Society Picture Library/Getty Images

Também há imagens do lado oculto e das crateras da Lua, da cachorra Laika— o primeiro cão a viajar ao espaço em 1957—, e da Terra totalmente vista do espaço. A icônica "Earthrise" ("nascer da Terra") mostra nosso planeta nascendo por trás do horizonte lunar.

A coleção, que retrata a era de ouro do início da exploração espacial, entre os anos 1940 e 1970, se chama "Viagem a um Outro Mundo". Ela foi reunida durante 15 anos pelo colecionador de artes Victor Martin-Malburet, um francês de 39 anos que sonhava em ser astronauta.

É o maior acervo privado de fotos espaciais. Algumas delas fizeram parte de exposições pelo mundo todo. Outras são inéditas para o público e sequer foram divulgadas pela Nasa.

Não se sabe como Martin-Malburet adquiriu as fotos e nem o motivo por trás das vendas. Mas, caso você tenha uma fortuna para investir nisso, as imagens estão sendo vendidas pela casa de leilões Christie's, de Londres.

A empresa espera que as mais raras alcancem lances acima de US$ 60 mil (R$ 325 mil). O leilão online vai até a próxima quinta-feira, 19.