PUBLICIDADE
Topo

Ecológico e real! Startup lucra com queijo tecnológico feito em laboratório

Nenhuma vaca foi ordenhada para produzir o queijo - iStock
Nenhuma vaca foi ordenhada para produzir o queijo Imagem: iStock

De Tilt, em São Paulo

04/10/2020 04h00

Uma startup alemã descobriu um jeito de produzir queijo "de verdade" sem precisar ordenhar uma vaca para isso. A LegenDairy Foods está fazendo queijo usando componentes do leite produzido em laboratório, com o objetivo de torná-lo o mais parecido possível com a versão não vegana do alimento e, assim, competir diretamente com o mercado de queijos feitos a partir de castanha de caju e outros vegetais.

A startup já criou protótipos de muçarela e ricota. "Pela primeira vez na história da humanidade, somos capazes de produzir produtos de origem animal de verdade sem prejudicar o meio ambiente", afirmou Raffael Wohlgensinger, presidente da LegenDairy, em comunicado enviado a Bloomberg.

A empresa usa biotecnologia para transformar nutrientes em proteínas do leite, fazendo uso do processo de fermentação. No laboratório, microorganismos e açúcares são misturados e fermentados. O processo gera proteínas encontradas no leite que, por sua vez, são usadas para produzir queijo.

Quer trabalhar lá? Há vagas abertas

A LegenDairy Foods conseguiu captar US$ 4,7 milhões (cerca de R$ 24 milhões) junto a um grupo de investidores que inclui a empresa alemã de medicamentos e tecnologia Merck KGaA. A injeção de recursos ajudará a startup a diversificar a linha de queijos, expandir as instalações de desenvolvimento de produtos e contratar mais gente.

Se interessou em trabalhar por lá? No site e no LinkedIn da startup há uma série de vagas para atuar na empresa.

A Merck KGaA tem uma vasta carteira de negócios relacionados à ciência, que inclui remédios contra o câncer, componentes para semicondutores e sistemas para edição genética.

A companhia está ampliando seu envolvimento em produtos animais criados em laboratório por meio da divisão de venture capital, que já investiu na Mosa Meat. Esta companhia alega ter criado o primeiro hambúrguer sem morte do mundo, com carne gerada diretamente de células bovinas.

Apesar do nome, a empresa alemã não tem relação com a farmacêutica americana Merck & Co. (Com Bloomberg)