PUBLICIDADE
Topo

Perfil no Instagram viraliza com frases de dar raiva que mães ouvem de pais

Perfil do Instagram @opaidomeufilhodisse - Reprodução/Instagram
Perfil do Instagram @opaidomeufilhodisse Imagem: Reprodução/Instagram

Constância Garcia

Colaboração para Tilt

02/10/2020 04h00

Poderia ser somente mais um perfil de frases no Instagram, mas o conteúdo do perfil @opaidomeufilhodisse revela a realidade que muitas mulheres enfrentam com seus filhos, principalmente durante a pandemia do coronavírus. A página, criada por três mães, expõe de maneira nua e crua o relacionamento cruel entre mulheres e os pais de seus filhos. Usuárias podem dar sugestões via formulário online, com link na bio do perfil.

A necessidade de mostrar que pais e mães precisam se igualar na criação de um filho motivou o nascimento do perfil no Instagram. Depois de um desabafo coletivo, as amigas Andréia Sierpien, Carmen Castilho e Jackeline Freitas resolveram tentar dar um basta a essa insatisfação.

"Falávamos sobre o padrão de comportamento do homem em relação à mulher, sobre como eles, num modo geral, se escoram na mulher mais próxima e se escondem atrás de respostas machistas, para se livrarem de responsabilidades", afirma o trio.

O @opaidomeufilhodisse foi criado há menos de um mês e já ganhou uma rede grande de fãs.

"Se queremos ser ouvidas, precisamos fazer barulho. Podemos listar as vezes que tentamos dialogar com esses pais, para que as responsabilidades sobre a criança fossem divididas por igual. A lista de tentativa é enorme. Já a de melhorias, bem pequena", completa Carmen Castilho.

Para a estilista Andréia Sierpien, a união das mulheres nesse período de quarentena tem sido muito importante e o ato de escutar os relatos recebidos funciona como uma forma de desabafo e acolhimento.

As mulheres, em sua maioria mães, têm nos procurado contando histórias absurdas de injustiças. São relatos bem tristes, mas temos percebido que falar tem dado algum tipo de alívio. A troca que estamos estabelecendo entre todas nós é muito potente
Andréia Sierpien

A exposição nas redes, segundo as criadoras da página, tem sido bem aceita. E para elas, expor essa realidade das mães brasileiras é importante na luta pela igualdade. "Conversando vamos entendendo que esses absurdos não acontecem só com a gente. Que não somos as "loucas, exigentes" que eles querem nos fazer acreditar que somos. A gente se alivia e se fortalece ao mesmo tempo com essa troca", finaliza o trio.

Triste mas real

Embora reúna relatos recebidos por apenas três mães, a realidade da mulher brasileira que cria seus filhos sem a ajuda de um companheiro é muito maior. Dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) indicam que cerca de 11 milhões de lares brasileiros são comandados exclusivamente por mulheres.

Segundo a Central Nacional de Informações do Registro Civil, apenas no primeiro semestre de 2020, dos mais de 1 milhão de brasileirinhos nascidos, 80.094 não contam com o nome de seus pais na certidão de nascimento.

O empoderamento feminino vem crescendo ao longo dos anos e, aqui no Brasil, a ONU Mulheres divulgou uma cartilha que sugere nove ações para eliminar a desigualdade de gênero dentro de casa, no período da pandemia de covid-19. Dentre elas, falar sobre a igualdade de gênero com a família e ler, assistir e compartilhar histórias de mulheres —tudo dentro da mesma linha de raciocínio do perfil @opaidomeufilhodisse.