PUBLICIDADE
Topo

Como as fechaduras funcionam? Entenda a senha liberada por dentes de metal

Rodrigo Lara

Colaboração para Tilt

24/09/2020 04h00

Sabe aquela chave que você usa todo dia para entrar e sair de casa? Ela parece um aparato simples, mas para funcionar corretamente ela precisa estar em total sintonia com a fechadura que ela irá abrir. Uma vez encaixados, podemos considerar que chave e fechadura formam um objeto único.

Mas como esse conjunto funciona? O que faz uma chave funcionar para determinadas fechaduras e para outras não? Tudo isso requer a engenhosidade da combinação de pecinhas e molas que destravam uma senha mecânica. Tudo isso em um pequeno pacote para deixar nossas casas mais seguras.

O segredo do funcionamento de uma fechadura está no formato da chave. Para explicar isso, vamos considerar chaves padrões, aquelas achatadas, que têm ranhuras (ou dentes) de um lado e superfície lisa do outro.

A parte com dentes é o que define se uma chave vai funcionar em uma determinada fechadura. Isso porque o interior dela tem dois elementos principais: o miolo, uma espécie de tambor giratório que faz a trava da fechadura se projetar em direção ao batente da porta ou se recolher; e uma parte fixa, que trava o movimento do tambor.

Para que o tambor tenha seu movimento liberado, é preciso que uma série de pinos em seu interior esteja em posições específicas. Aí entra a importância dos dentes da chave: dependendo do seu formato, eles deixam esses pinos na posição correta para que o tambor se movimente livremente.

Chaves, portanto, acabam funcionando como uma espécie de "senha" para que uma porta seja aberta. Há, claro, variações nessa técnica que acrescentam doses adicionais de complexidade para que o nível de proteção seja maior, mas de modo geral, o funcionamento básico acaba sendo o mesmo.

É verdade que existem "chaves-mestras" que abrem qualquer fechadura?

Mais ou menos. O que normalmente ocorre, especialmente em estabelecimentos como hotéis, é que há sim chaves capazes de abrir todos os quartos e que, geralmente, são usadas pelas pessoas responsáveis pela limpeza dos aposentos. Isso é possível quando se usa fechaduras especiais, projetadas de maneira a funcionar com duas chaves diferentes.

Deste caso, uma das chaves será a usada pelos hóspedes. Já a tal da chave-mestra possui um formato que aciona um pino especial no miolo da fechadura. Esse pino, quando acionado, desbloqueia todos os outros e, com isso, a fechadura é destravada.

Quando uma chave está emperrando eu devo usar óleo nela?

Caso uma fechadura da sua casa esteja emperrando, o melhor a se fazer é chamar um especialista antes de recorrer a "soluções caseiras". Isso porque substâncias como óleo de cozinha, grafite e até mesmo óleos como o famoso WD40 podem deixar resíduos ou umidade no mecanismo da chave, o que pode causar problemas mais sérios no futuro.

O único óleo que, de fato, pode ajudar a manter uma fechadura em bom estado é o famoso óleo Singer (ou SAE10). De origem mineral, esse óleo era comumente usado em máquinas de costura, tem baixa viscosidade e não deixa resíduos. Ainda assim, eles não são garantia de que uma fechadura danificada voltará a funcionar.

Uma mesma chave pode abrir mais de uma fechadura?

Sim, é até um recurso comum em portas internas de residências. No entanto, há casos involuntários onde a mesma chave abria mais de uma fechadura.

Um exemplo ocorria com carros antigos. A limitação no número de combinações de padrões de ranhuras nas chaves, somado ao grande número de veículos em circulação, fazia com que a mesma chave acabasse abrindo mais de um carro.

Fontes:
Demétrio Elie Baracat, professor de Engenharia Mecânica do Instituto Mauá de Tecnologia

Toda quinta, Tilt mostra que há tecnologia por trás de (quase) tudo que nos rodeia. Tem dúvida de algum objeto? Mande para a gente que vamos investigar.