PUBLICIDADE
Topo

Há duas maneiras de medir o dia na Terra, e nós usamos a mais longa

Divulgação/Nasa
Imagem: Divulgação/Nasa

Felipe Oliveira

Colaboração para Tilt

21/09/2020 12h26

Cada vez mais temos a sensação de que os dias estão passando mais rápido. Mas você sabia que na verdade já ganhamos quatro minutos por dia na comparação com uma rotação completa da Terra?

Para que nosso planeta dê uma volta completa ao seu redor, ele demora exatamente 23 horas e 56 minutos —e não as 24 horas que contamos diariamente. Isso porque a Terra orbita constantemente o Sol e após uma rotação completa de 360 graus, um ponto diferente do planeta está voltado para a estrela.

Para que o Sol alcance exatamente a mesma posição no céu, a Terra precisa girar um grau a mais —e foi com essa última forma que os humanos decidiram medir a duração dos dias. Ou seja, nós medimos um dia não pela rotação exata da Terra, mas pela posição do Sol no céu.

Assim, podemos falar que, tecnicamente, são dois tipos diferentes de dia. Um deles, medido pela conclusão de uma rotação de 360 graus, é chamado de dia sideral. Já o dia que se baseia na posição do Sol é chamado de dia solar. Esse último é quatro minutos mais longo que o anterior, totalizando as 24 horas.

Como nos baseamos nos dias solares em nossos calendários, um ano tem 365 dias. Mas na verdade a Terra completa uma rotação (dia sideral) 366 vezes por ano.

O cientista planetário James O'Donoghue, da agência espacial japonesa (Jaxa), postou um vídeo em seu canal do YouTube (abaixo, em inglês) mostrando a diferença entre o dia sideral e o solar. Ao Business Insider, ele descreve a diferença entre esses dois tipos de dia como uma escolha: qual objeto de fundo usaremos como base de comparação para a rotação da Terra.

Assim, se usássemos o dia sideral como referência, "o Sol nasceria cerca de quatro minutos mais cedo todos os dias e, depois de seis meses fazendo isso, o Sol nasceria 12 horas antes", afirmou O'Donoghue.

"Decidimos amarrar nosso ritmo diário ao Sol, não às estrelas. Na verdade, as estrelas nascem cerca de quatro minutos mais cedo todos os dias por causa de nossa escolha", disse.