PUBLICIDADE
Topo

Novos iPhone 12? Veja o que esperar do evento da Apple hoje e como assistir

Reuters
Imagem: Reuters

Bruna Souza Cruz

De Tilt*, em São Paulo

15/09/2020 04h00

A Apple realiza nesta terça-feira (15), a partir das 14h (horário de Brasília), mais um evento transmitido diretamente do Apple Park, em sua sede nos Estados Unidos. Como de costume, a empresa faz segredo e não revela detalhes do que irá anunciar, mas as estrelas do evento devem ser o Apple Watch 6 e um novo iPad Air.

Quanto ao lançamento do iPhone 12, os rumores estão pesando mais para o fato de que os novos celulares não devem fazer parte dos anúncios. Será?

É possível que a empresa tenha adiado para outubro o lançamento dos seus smartphones— e a Apple chegou a dizer que a próxima geração do iPhone chegaria mais tarde neste ano, possivelmente por conta da pandemia do novo coronavírus.

De qualquer forma, a expectativa é alta. A empresa pode ter escolhido apresentar os aparelhos hoje e atrasar o início das vendas, por exemplo.

A quase certeza é de que outros produtos devem ser mostrados logo mais. A Apple, inclusive, atualizou a sua loja virtual com a seguinte mensagem: "A gente já volta. Estamos atualizando a Apple Store".

No ano passado, a empresa aproveitou o seu evento anual para apresentar um iPad com telona de 10,2 polegadas, que começou a ser vendido por US$ 329, o Apple Watch Series 5, com botão de emergência e nova tela, e anunciar os valores para o Apple Arcade (serviço de jogos) e o Apple TV+ (séries e filmes online).

Tudo online

Tradicionalmente, a Apple realizava todo começo de setembro um evento presencial para convidados e imprensa nos Estados Unidos. Em geral, produtos e serviços eram lançados, mas o anúncio principal sempre ficava por conta do novo iPhone da época.

Com a pandemia, a empresa (assim como todas as outras) foi impactada. Para manter as medidas de distanciamento social, ela vai realizar o seu segundo evento 100% online. O primeiro foi em junho na WWDC, conferência anual para desenvolvedores, onde anunciou as novidades do novo iOS 14, disponível por enquanto apenas na versão de testes para os usuários.

Quem quiser acompanhar, pode ficar ligado aqui em Tilt. Faremos a cobertura ao vivo do evento, que será transmitido pelo canal da Apple no YouTube.

"Tempo voa"

Em seu convite para o evento, a Apple usou as palavras "time flies" (o tempo voa, traduzindo). A relação com possíveis novidades da nova geração de seu relógio foi instantânea.

O Apple Watch Series 6 pode vir com recurso para medir a oxigenação no sangue e outras funções com foco em saúde. Grandes mudanças no visual do relógio não são tão esperadas. Os tamanhos de 40 mm e 44 mm também devem ser mantidos.

Alguns acreditam que a empresa deve lançar também uma versão mais barata do Apple Watch (seria uma versão "SE"?). Ela assumiria o lugar do Series 3, que foi lançado em 2017 custando a partir de US$ 329 e ainda é comercializado.

No ano passado, o Apple Watch Series 5 chegou ao mercado com preços entre US$ 399 e US$ 499 (na época, entre R$ 1.600 a pouco mais de R$ 2.000 na conversão direta). No Brasil, hoje o Series 5 mais barato custa a partir de R$ 3.999 no site da empresa.

Novo iPad

Uma nova geração do iPad Air também pode surgir nesta terça. O modelo teria 11 polegadas e o design seria inspirado no do iPad Pro, com uma tela que ocupa toda a frente do aparelho, sem botão algum.

Na parte de trás, uma câmera simples. Uma entrada no padrão USB-C para o fone de ouvido e carregamento da bateria também pode ser uma característica do lançamento.

Contrariando o padrão Apple de ser, o novo iPad teria um sensor biométrico no botão liga e desliga, já que pode não contar com o Face ID (desbloqueio por face). Se isso se confirmar, será a primeira vez que a empresa adota o recurso.

A dúvida que fica é se o iPad Air será compatível com o Magic Keyboard (teclado) e o Apple Pencil (lápis inteligente). A estimativa de preço é de a partir de US$ 499.

Magic Keyboard... - Veja mais em https://www.uol.com.br/tilt/colunas/guilherme-rambo/2020/09/11/evento-sem-iphones.htm?cmpid=copiaecola

Combo de assinaturas

Outros rumores apostam que a Apple deve anunciar um pacote de assinaturas combinando os seus serviços Apple TV+, Apple Music, Apple News+ e Apple Arcade, no chamado Apple One.

iPhone 12 vem ou não vem?

Por conta da pandemia, algumas fábricas na China que fazem a montagem dos iPhones chegaram a paralisar suas atividades em decorrência das medidas de quarentena. Por isso, é forte a crença de que os novos iPhones podem realmente ser lançados em outubro.

Mas, há também quem acredite que a empresa vai seguir a tradição de usar setembro para mostrar os seus celulares.

Seguindo os principais rumores, a Apple pode anunciar:

  • Até quatro aparelhos: iPhone 12 (tela de 5,4 polegadas), iPhone 12 Max (tela de 6,1 polegadas), iPhone 12 Pro (tela de 6,1 polegadas) e iPhone 12 Pro Max (tela de 6,7 polegadas), com opções de armazenamento entre 64 GB e 512 GB;
  • Nada de tela dobrável, mas uma com taxa de atualização de 120 Hz, que faz com que os conteúdos sejam exibidos de forma mais suave e que os pixels sejam atualizados mais rapidamente. Isso é bom principalmente para quem joga games pesados. A tecnologia já está presente nas linhas Samsung Galaxy S20, Note 20 e Z Fold 2;
  • Modelos compatíveis com a tecnologia 5G;
  • Versões "Pro" teriam conjunto com três câmeras principais com sistema duplo de estabilização. O iPhone 12 Pro Max pode incluir a tecnologia do scanner LiDAR (laser que auxilia o foco automático e o modo noturno). Os demais modelos contariam com duas câmeras principais;
  • Processador A14 Bionic, que promete reduzir em 30% o consumo de bateria e aumentar em até 50% o desempenho do aparelho;
  • Mudança no design: modelos resgatariam as bordas "quadradas" do iPhone 4 e sem curvas. Seriam mais parecidos com o visual do iPad Pro (terceira geração);
  • Novas cores, como a azul "navy";
  • Preços que podem variar de US$ 700 a US$ 1.200.

Aqui, um vídeo com os supostos detalhes do chassi de uma das versões do iPhone 12, o que confirmaria as câmeras e o sensor LiDAR.

Durante o anúncio do iPhone 11 no ano passado, a Apple tentou inventar moda com a palavra "Slofie", junção das palavras "selfie" com "slow" (devagar em inglês), para divulgar uma função da câmera frontal que permitia gravar selfies em câmera lenta.

O nome virou motivo de meme e não ficou tão popular até hoje. Será que ela vai querer inventar outra moda neste ano?

    Para efeito de comparação, os iPhone de 2019 chegaram ao mercado custando:

    • iPhone 11: a partir de US$ 699 (64 GB)
    • iPhone 11 Pro: a partir de US$ 999 (64 GB)
    • iPhone 11 Pro Max: a partir de US$ 1.099 (64 GB)

    HomePod e rastreador de objetos

    As apostas para uma nova versão do alto-falante da Apple são pequenas. Mas nunca se sabe. A empresa pode apresentar um HomePod menor e mais barato.

    Já com o AirTag, rastreador de objetos, as chances podem ser maiores. Vazamentos já mostraram a tecnologia. Só falta a empresa lançar.

    O rastreador de objetos inteligente da Apple, AirTag, que já vazou por todo canto, pode finalmente ser anunciado oficialmente.... - Veja mais em https://www.uol.com.br/tilt/colunas/guilherme-rambo/2020/09/11/evento-sem-iphones.htm?cmpid=copiaecola

    * Com informações de Bloomberg, Guilherme Rambo, EverythingApplePro e Tom's Guide