PUBLICIDADE
Topo

Por que este é o pior momento do ano para você comprar um iPhone

iPhone 11 foi lançado em 2019 e uma nova versão está prestes a ser lançada - Divulgação
iPhone 11 foi lançado em 2019 e uma nova versão está prestes a ser lançada Imagem: Divulgação

Marcelle Duarte

Colaboração para Tilt

10/09/2020 14h13

Com os rumores sobre o novo iPhone 12, que poderá ser lançado na próxima terça-feira (15), este pode ser o pior momento para se comprar um smartphone da Apple. Se você está pensando em desembolsar cerca de R$ 4.000 para comprar um iPhone 11 agora ou adquirir um modelo anterior, considere esperar mais um pouco.

Com a chegada de novos aparelhos, é muito comum que os preços das versões antigas diminuam e que lojas invistam em promoções.

De olho na economia, você ainda pode aguardar por mais algumas semanas e pesquisar o preço do iPhone SE, o atual modelo "baratinho" da Apple. É um lançamento deste ano que chegou ao Brasil por a partir de R$ 3.699. O valor dele já caiu um pouco em lojas varejistas desde então.

Outra coisa a se considerar é que após o lançamento dos novos iPhones de 2020, provavelmente os modelos do ano passado também devem cair de preço ainda mais. E um iPhone do ano passado ainda rende bem por pelo menos dois anos de uso. Em outubro do ano passado, os modelos chegaram ao país com esses preços mínimos:

  • iPhone 11 64 GB: R$ 4.999
  • iPhone 11 Pro 64 GB: R$ 6.999
  • iPhone 11 Pro Max 64 GB: R$ 7.599

Apesar de ainda estarem com esses preços no site oficial da Apple, atualmente podem ser encontrados no comércio brasileiro por esses preços à vista:

  • iPhone 11 64 GB: R$ 4.199
  • iPhone 11 Pro 64 GB: R$ 5.899
  • iPhone 11 Pro Max 64 GB: R$ 6.499

Normalmente a Apple reduz o preço oficial de modelos antigos logo após os novos iPhones serem anunciados ou chegarem às lojas. E isso também deve acontecer no restante do ecommerce. Resta saber como (ou se) isso acontecerá neste ano, com o dólar custando mais de R$ 5.

Agora, se você está de olho em ter um iPhone de última geração, com certeza é melhor esperar o lançamento da nova família. Os modelos devem vir com conexão 5G e melhor processador com o chip A14 Bionic de cinco nanômetros, que pode reduzir em 30% o consumo de bateria e aumentar em até 50% o desempenho do aparelho, segundo os rumores.

A empresa de pesquisa de tecnologia TrendForce estimou os preços dos quatro possíveis lançamentos:

  • iPhone 12 (5,4 polegadas): US$ 700 a 750 (entre R$ 3.900 e R$ 4.170)
  • iPhone 12 (6,1 polegadas): US$ 800 a 850 (R$ 4.450 a R$ 4.730)
  • iPhone 12 Pro (6,1 polegadas): US$ 1.050 a 1.100 (R$ 5.840 a R$ 6.120)
  • iPhone 12 Pro Max (6,7 polegadas): US$ 1.150 a 1.200 (R$ 6.400 a R$ 6.680)

Além da tecnologia 5G e o chip mais moderno, a família 12 deve apresentar uma reformulação visual. Tudo indica que haverá um resgate do design do icônico iPhone 4, que permaneceu até o 5S: carcaça de metal com bordas "quadradas".

No lugar das curvas que acompanham o smartphone desde o 6, o chassi do iPhone 12 teria arestas mais duras, como as dos novos iPad Pro (terceira geração).

O polêmico entalhe seguirá na tela e rumores sugerem o lançamento de novas cores, incluindo um azul "navy". Os modelos Pro terão quatro câmeras traseiras (o 11 Pro tem três), com sistema duplo de estabilização e sensor LiDAR (laser que auxilia o foco automático e o modo noturno).

A expectativa é grande para os novos celulares, mas há quem diga que o iPhone 12 só será lançado em outubro. As apostas para o evento da próxima semana estão mais altas para a apresentação de novas versões do Apple Watch e iPad. Não se sabe se eles já estarão a venda, devido aos atrasos causados pela pandemia do novo coronavírus.

Mesmo com a conturbada implantação do 5G no Brasil, que ainda deve demorar para ser plenamente implantada por aqui, vale esperar o lançamento para decidir o melhor negócio para você.