PUBLICIDADE
Topo

Como as antenas parabólicas funcionam e trazem o sinal para sua TV?

Rodrigo Lara

Colaboração para Tilt

20/08/2020 04h00

As antenas parabólicas já foram mais comuns no teto de prédios e casas, especialmente antes da popularização do sinal digital de TV no Brasil. Hoje é mais comum elas serem usadas por assinantes de sinal por satélite. Mas o conceito por trás de sua construção é aplicado até mesmo em radiotelescópios.

Em um uso complexo ou não, a lógica de funcionamento é a mesma: essas antenas usam seu formato para funcionar como um "concentrador" de sinais eletromagnéticos.

parabolica - a tecnologia por tras
Imagem: Guilherme Zamarioli/ UOL

Boa parte da ideia de uma antena parabólica já está em seu nome: ela se vale de um refletor paraboloide (que é o nome dado a um objeto em forma de parábola) que "rebate" um sinal em direção a um receptor —aquele objeto na ponta de uma haste no centro dessas antenas.

As parabólicas são voltadas para a comunicação direta do sinal. Ou seja, o transmissor —um satélite geoestacionário que orbita a Terra a mais de 35 mil km de altitude— e o receptor, que é a antena, precisam estar alinhados.

O motivo dessas antenas terem o formato de paraboloide é que ele permite concentrar todo o sinal recebido na superfície do elemento refletor em um único ponto, o chamado foco. E é justamente nesse ponto que está o dispositivo que recebe o sinal. Depois, um decodificador traduz os dados captados para formar a imagem e fazer a interface com a TV.

Por que as antenas parabólicas de TV por assinatura são menores do que as convencionais?

A explicação para isso está na altura da frequência do sinal, que influencia no diâmetro do refletor necessário para um bom desempenho. Como os serviços de TV por assinatura que usam essa tecnologia emitem sinais em frequências mais elevadas, o diâmetro do refletor da antena para que ela funcione corretamente é menor.

Por que o sinal de parabólica fica pior em dias de chuva?

As antenas parabólicas trabalham com sinais de frequência elevada. O problema é que esse tipo de onda eletromagnética, em algumas faixas, é suscetível a terem sua energia absorvida por gotículas de água. Por isso fenômenos meteorológicos atrapalham a qualidade da comunicação.

Por que meu vizinho grita gol antes de mim quando estou vendo um jogo transmitido por parabólica?

A explicação para isso está na distância que o sinal precisa percorrer da emissora para o satélite (sim, que está a 35 mil km de altitude) e do satélite para a sua TV. Por isso é normal que quem use outros meios para assistir TV acabem recebendo o sinal (e reagindo ao que acontece) antes de quem assiste por TV parabólica.

Fontes:

Eduardo Pouzada, professor de Engenharia Eletrônica do Instituto Mauá de Tecnologia
Márcio Mathias, professor do Departamento de Engenharia Elétrica da FEI

Toda quinta, Tilt mostra que há tecnologia por trás de (quase) tudo que nos rodeia. Tem dúvida de algum objeto? Mande para a gente que vamos investigar.