PUBLICIDADE
Topo

Adolescente é preso nos EUA por hack que afetou personalidades no Twitter

Golpe aplicado por jovem de 17 resultou em milhares de dólares roubados por bitcoin - Estúdio Rebimboca/UOL
Golpe aplicado por jovem de 17 resultou em milhares de dólares roubados por bitcoin Imagem: Estúdio Rebimboca/UOL

Felipe Oliveira

Colaboração para Tilt

31/07/2020 18h23

Um adolescente de 17 anos foi preso nesta sexta-feira (31) na Flórida, Estados Unidos, acusado de ser o mentor da maior violação de segurança da história do Twitter. O ataque, que atingiu cerca de 130 contas na rede social no dia 15 de julho, afetou personalidades como o candidato a presidência Joe Biden, o ex-presidente Barack Obama e os bilionários da tecnologia Bill Gates e Elon Musk.

Todas as contas hackeadas publicaram mensagem semelhante: um golpe para que usuários da rede social deem dinheiro para um endereço de bitcoin. O conteúdo já foi apagado da rede social.

O jovem foi acusado de mais de 30 crimes pela Procuradoria da Flórida do Condado de Hillsborough, incluindo fraude em comunicação, roubo de identidade, fraude organizada e acesso ao computador ou dispositivo eletrônico sem autorização.

O procurador estadual Andrew Warren disse, em entrevista coletiva, que não podia comentar se o adolescente atuou sozinho. Mas, afirmou que ele está sendo acusado como adulto, já que "esse não era um garoto comum de 17 anos".

"Esses crimes foram cometidos usando os nomes de pessoas famosas e celebridades, mas não são elas as principais vítimas aqui. Este 'Bit-Con' foi projetado para roubar dinheiro de americanos comuns de todo o país, inclusive aqui na Flórida. Essa fraude maciça foi orquestrada aqui mesmo em nosso quintal, e não vamos aceitar isso", disse Warren.

De acordo com as investigações, o esquema de fraude arrecadou mais de US$ 100 mil em bitcoins em apenas um dia. Por ser uma criptomoeda, o bitcoin é difícil de ser rastreado e recuperado nesses casos.

"Conseguir enganar as pessoas com seu dinheiro suado sempre está errado. Esteja você tirando proveito de alguém pessoalmente ou na internet, tentando roubar dinheiro ou criptomoeda, é fraude, é ilegal e você não vai se safar", destacou Warren em seu comunicado.

Embora o FBI tenha aberto sua própria investigação inicialmente, não está claro se isso ainda está em andamento. "O FBI e o Departamento de Justiça continuarão a se associar ao escritório durante toda a acusação", diz o texto.

Twitter se manifesta

Na quinta (30), o Twitter fez sua primeira tentativa para explicar a forma como os invasores conseguiram burlar as ferramentas de segurança para acessar as contas.

A empresa afirmou que vários funcionários foram alvo de um "ataque de spear phishing". Funcionaria assim: hackers teriam ligado para funcionários do Twitter e se passaram por membros de segurança da empresa para que eles revelassem suas credenciais.

O Twitter alega que nenhum usuário verificado teve suas mensagens privadas ou caches de dados comprometidos, sugerindo que as mensagens particulares de Biden, Obama e outros poderiam estar seguras. A conta do Twitter do presidente Trump possui proteções extras, o que pode explicar por que não foi invadida.

Após a ação desta sexta-feira, a rede social mais uma vez se manifestou para agradecer o trabalho da polícia. "Agradecemos as ações rápidas da aplicação da lei nesta investigação e continuaremos a cooperar à medida que o caso avança. De nossa parte, nosso foco é ser transparente e fornecer atualizações regularmente", disse em uma postagem.