PUBLICIDADE
Topo

Decisão do 5G no Brasil será do presidente, diz ministro das Comunicações

Ministro das Comunicações diz que decisões sobre 5G no Brasil partirão de Jair Bolsonaro - Justin Tallis/AFP
Ministro das Comunicações diz que decisões sobre 5G no Brasil partirão de Jair Bolsonaro Imagem: Justin Tallis/AFP

De Tilt, em São Paulo

08/07/2020 12h25

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, disse hoje que as decisões em relação ao 5G serão tomadas pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Ele afirmou que fará o dever de casa junto com a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicação), mas que estará alinhado com as prioridades determinadas por Bolsonaro.

"Meu trabalho aqui no ministério é coletar informações e ver a questão financeira, de investimentos, de transparência. É um tema altamente sensível e eu estarei alinhado dentro do que o presidente definir como sua prioridade", disse Faria em entrevista à Rádio Bandeirantes.

Ontem, o Ministério das Comunicações anunciou que adiará o leilão do 5G no país para o primeiro semestre de 2021 por causa da pandemia do novo coronavírus.

"Os testes de campo ficaram prejudicados, então a gente vai, provavelmente no primeiro semestre do ano que vem, receber todos os players (grupos interessados) que estão envolvidos em relação ao 5G", informou o ministro.

Diante deste cenário, a Claro informou hoje que inicia na semana que vem, em regiões de São Paulo e Rio de Janeiro, a oferta de uma rede 5G comercial. A operadora utilizará a tecnologia DSS (Compartilhamento Dinâmico de Espectro) para possibilitar a navegação até 12 vezes mais rápida em celulares compatíveis com o recurso —atualmente, apenas o Motorola Edge está disponível no Brasil.

A Anatel informa que as demais operadoras também podem fazer o mesmo, sem a necessidade de aguardar o leilão das frequências mais altas. "As prestadoras de serviços de telecomunicações que atuam no Brasil têm liberdade para implementar redes com padrão 5G em quaisquer das faixas de radiofrequência a elas autorizadas", disse a agência em comunicado enviado a Tilt.

4G ainda não chegou para todos

Faria também falou sobre a implementação do 4G em todo o país. Segundo ele, cerca de 40 a 60 milhões de brasileiros ainda não têm acesso à banda larga.

Para tentar conectar parte dessas pessoas, a pasta firmou um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) com a empresa de telefonia móvel TIM. A companhia se comprometeu a transferir R$ 638 milhões para levar o 4G a 350 cidades, cerca de 3 milhões de pessoas.

"Imagine quem não tem [internet] como está sendo essa pandemia. Então precisamos acelerar a inclusão digital e, obviamente, teremos que fazer isso de maneira muita rápida", disse Faria.