PUBLICIDADE
Topo

TikTok: por que vídeos de dancinha vivem aparecendo para você?

TikTok é uma rede social focada no compartilhamento de vídeos - Reprodução
TikTok é uma rede social focada no compartilhamento de vídeos Imagem: Reprodução

Bruna Souza cruz

De Tilt*, em São Paulo

20/06/2020 14h48

Quem entrou na onda do TikTok, sabe bem que o quanto aquele fluxo interminável de vídeos de dancinhas, dublagens hilárias e sons esquisitos prendem a atenção. Mas você já parou para pensar qual é o segredo por trás das cenas que chegam até você?

Para alegria de alguns fãs (que até já criaram teorias da conspiração sobre o assunto), a empresa finalmente começou a revelar como a recomendação de vídeos funciona. E o destaque é que cada usuário tem acesso a um conjunto exclusivo de cenas— não existirão dois feeds com sugestões de vídeos iguais, nem mesmo se você e seu amigo consumirem os mesmos conteúdos.

Em uma publicação nesta semana em seu site, o TikTok explicou que a plataforma considera um conjunto complexo de indicadores para recomendar vídeos na área "For You" (Para você) da plataforma. Elas englobam hashtags, músicas, legendas e até o modelo de celular que a pessoa está usando.

Segundo a empresa, as recomendações envolvem a interação do usuário, com destaques para:

  • Se você assistiu a um vídeo até o fim;
  • Se o compartilhou;
  • Se fez comentários no conteúdo que assistiu;
  • Quem você segue e se seguiu o criador do vídeo posteriormente;
  • Se deu feedback negativo no vídeo (por exemplo, se o usuário selecionou o item "Não estou interessado" ou se preferiu ocultar a publicação de uma pessoa).

Por isso, se você assistiu a vários vídeos de dancinhas divertidas, o TikTok vai achar que você curte muito esse tipo de conteúdo e provavelmente começará a oferecer mais e mais cenas do tipo.

No caso dos dispositivos analisados, o TikTok leva em conta (ainda que com menor importância):

  • Preferências de idiomas;
  • Configurações de país;
  • Tipo do dispositivo.

"Esses fatores são processados pelo nosso sistema de recomendações e ponderados com base no seu valor para um usuário. Um forte indicador de interesse, como se um usuário termina de assistir a um vídeo mais longo do começo ao fim, receberia maior peso do que um indicador fraco, como se o visualizador e o criador do vídeo estão no mesmo país", explicou a empresa em seu site.

"Os vídeos são classificados para determinar a probabilidade de interesse do usuário", acrescentou.

O segredo do algoritmo do TikTok está então em antecipar quais conteúdos têm mais chances de agradar você. Por causa disso, vídeos de pessoas que compartilham interesses parecidos começam a invadir o seu feed— essa análise algorítmica é repetida inúmeras vezes e o feed é alimentado automaticamente.

Como pudemos perceber, o sucesso de um vídeo viral ou não depende das interações entre os usuários da plataforma. Quanto mais pessoas demonstrarem interesse em um conteúdo, maior a chance dele ser mostrado para mais gente e viralizar. Ao mesmo tempo, os menos consumidos vão deixando de ser exibidos com mais frequência.

Sobre essa "bolha de filtros" que essa dinâmica pode oferecer para o usuário, o TikTok reconhece que é um dos desafios que surgem ao desenvolver sistemas de recomendação de conteúdos. Para tentar equilibrar a balança, a empresa diz que mostra vídeos diferentes para cada perfil mesmo que não entrem no critério de conteúdo de interesses comuns.

Como o TikTok ganhou sucesso

O TikTok pertence a ByteDance, um das maiores empresas de tecnologia da China. Seu sistema é classificado como uma plataforma de conteúdo criativo. Até abril, a rede social possuía mais de 1 bilhão de usuários ativos mensais e o app era a quarta rede social mais popular do mundo.

O perfil de seu público é predominantemente jovem, com até 30 anos. Desde o começo das medidas de isolamento social, o TikTok ganhou força e atraiu inúmeras celebridades e fortaleceu a estratégias de empresas com propagandas dentro dele.

O aplicativo está presente em 150 países e funciona em 75 idiomas. No Brasil, calcula-se que mais de 7 milhões de pessoas usem a plataforma.

Polêmicas

No ano passado, o aplicativo foi alvo de questionamentos quanto a sua segurança. Legisladores e usuários dos Estados Unidos suspeitaram de possíveis conexões da empresa com o governo chinês. Ela negou que a China pudesse exercer qualquer influência em suas atividades.

No Brasil, em maio desde ano o Procon-SP notificou a empresa dona do TikTok por suposta violação de privacidade infantil.

*Com informações do site Wired