PUBLICIDADE
Topo

Reconhece rosto de máscara e faz check-up: Uber recria app após covid-19

Recurso de checagem de máscara de motoristas no novo app da Uber - Divulgação
Recurso de checagem de máscara de motoristas no novo app da Uber Imagem: Divulgação

Rodrigo Trindade

De Tilt, em São Paulo

13/05/2020 14h43

Sem tempo, irmão

  • Motoristas precisarão comprovar que estão de máscara por reconhecimento facial
  • Eles também terão que concordar com outras políticas, assim como passageiros
  • Passageiros e motoristas podem ser excluídos do serviço se desrespeitarem regras
  • UberX receberá no máximo três passageiros, todos no banco de trás

Quem chamar um Uber na próxima segunda-feira (18) vai dar de cara com várias mudanças no funcionamento do seu aplicativo. A empresa quer se antecipar ao "novo normal" de países reabrindo após medidas agressivas de distanciamento social para conter a pandemia do novo coronavírus.

Tanto passageiros quanto motoristas terão que se comprometer a cuidados sanitários para usar a plataforma. O executivo-chefe Dara Khoshwashahi introduziu essa nova versão do app nesta quarta-feira (13), em uma apresentação virtual à imprensa.

A principal mudança está do lado dos motoristas, que agora terão a obrigação de tirar uma selfie com máscara para começar a trabalhar. Mas além disso, eles precisarão fazer um check-up com os seguintes itens:

  • Confirmar que não está com sintomas de covid-19;
  • Confirmar que o veículo foi higienizado naquele dia; e
  • Confirmar que lava as mãos frequentemente.

Esses requisitos virão representados em uma lista que também contém informações e sugestões de cuidados, como manter as janelas do carro abertas. Depois que o app confirmar que ele estará adequado aos itens da lista, o motorista estará liberado para realizar corridas.

Do lado do passageiro, não haverá checagem de foto. Sachin Kansal, diretor sênior de produto da empresa, justificou com base nas ferramentas pré-existentes do serviço.

"Temos a ferramenta Real Time ID Check. Usamos essa foto para verificar se aquela é a pessoa que se inscreveu para dirigir para nós. Tínhamos um modelo pronto para o motorista e nosso objetivo era lançar isso o mais rápido possível", explicou.

O que muda para o passageiro?

Isso não significa que a vida do passageiro continuará igual. Agora, em vez de apenas escolher destino e buscar o carro, uma nova etapa surgiu: o aplicativo mostrará uma mensagem pedindo que o passageiro siga ordens governamentais, como:

  • Não usar o app se estiver com covid-19 ou sintomas relacionados;
  • Usar uma máscara ou proteção facial;
  • Lavar as mãos antes da corrida;
  • Sentar obrigatoriamente no banco traseiro; e
  • Abrir a janela, se possível.

Abaixo do texto, ele poderá clicar em um botão para buscar um carro.

Kansal afirmou que as novas políticas da plataforma se apoiam sobre três pilares: conhecimento de experts de saúde embasando a elaboração, responsabilidade para todos que utilizam o app (motoristas, passageiros e entregadores) e tecnologia adaptável.

O segundo item deste pilar significa que tanto motoristas e quanto passageiros devem tomar precauções ao usarem o serviço. Caso não o façam, podem ser notificados pelo desrespeito às normas, especialmente a de uso de máscaras, e podem ser excluídos da plataforma se não melhorarem o comportamento em futuras corridas.

Distanciamento social e cautela

Outra mudança significativa diz respeito à categoria UberX, que oferece as corridas particulares mais baratas da plataforma. Antes ela permitia quatro passageiros no carro: um ao lado do motorista e três no banco de trás.

Segundo as novas regras, apenas três passageiros poderão entrar no carro por corrida. Nenhum deles deve sentar no banco da frente, para que se mantenha um distanciamento físico entre motorista e passageiros. Usando a mesma lógica, a categoria Uber Juntos seguirá suspensa.

"Estamos tomando uma posição sobre segurança. Uma decisão que tomamos foi suspender o Uber Juntos, porque ter várias pessoas de vários lugares era perigoso. No UberX, geralmente são pessoas da mesma casa, sempre moram juntas", disse Kansal, detalhando o motivo para permitir que três pessoas fiquem apertadas no banco de trás.

O diretor explicou que a prioridade da empresa neste momento não é pensar em geração de receita, mas segurança. Por isso ela abre mão de serviços que poderiam gerar mais dinheiro. "Vamos errar no lado da segurança e do cuidado."

Toda essa cautela também leva em consideração informações da OMS (Organização Mundial da Saúde) e do CDC (Centro de Controle de Prevenção de Doenças), instituições em que a Uber tem se apoiado para criação das novas políticas.

Com estes dados, a empresa também preparou vídeos educativos que explicam, por exemplo, a maneira correta de utilizar uma máscara ou como higienizar o carro.