PUBLICIDADE
Topo

Camadas de diferentes tecidos deixam máscara caseira 99% eficaz, diz estudo

Estudo mostra como fazer uma máscara caseira realmente eficaz contra o coronavírus - Divulgação/Universidade de Chicago
Estudo mostra como fazer uma máscara caseira realmente eficaz contra o coronavírus Imagem: Divulgação/Universidade de Chicago

Felipe Oliveira

Colaboração para Tilt, em São Paulo

26/04/2020 04h00

Se você está seguindo as orientações do Ministério da Saúde e usa máscara feita em casa quando precisar sair à rua, saiba que existe uma "fórmula mágica" para garantir que os tecidos filtrem de forma eficiente o ar e evite que você contamine ou seja contaminado pelo coronavírus. Um estudo publicado na renomada revista "ACS Nano" descobriu que uma combinação de tecidos, com duas ou mais camadas, filtra até 99% das gotículas emitidas quando uma pessoa infectada tosse, espirra ou fala próxima de alguém saudável.

Segundo os cientistas da Universidade de Chicago (EUA), montar a máscara com várias camadas de dois tipos de tecido já protege bem de gotículas, mas as melhores combinações são com uma camada de algodão e duas camadas de chiffon, seda natural ou flanela. Nestes casos, o desempenho é similar ao material da máscara N95 (profissional).

Veja no vídeo abaixo como fazer:

Os pesquisadores estudaram a capacidade dos tecidos comuns, sozinhos ou em combinação, filtrarem gotículas respiratórias. Foram testados vários materiais, incluindo algodão, seda, chiffon, flanela, sintéticos e suas combinações.

De acordo com o estudo, as gotículas possuem ampla variedade de tamanhos, mas as menores delas, chamadas de aerossóis, podem facilmente deslizar por aberturas entre certas fibras de tecidos. Por isso, era necessário avaliar a eficiência da filtração em partículas de 10 nanômetros a 10 micrômetros.

Os pesquisadores usaram uma câmara de mistura de aerossóis para criar gotículas que variavam de 10 nanômetros a 6 micrômetros de diâmetro. Um ventilador soprou os aerossóis através de várias amostras de tecido, simulando uma respiração humana.

"Embora as eficiências de filtração para vários tecidos variassem de 5% a 95% para tamanhos de partículas de menores que 300 nanômetros, as eficiências melhoraram quando várias camadas foram usadas e ao usar uma combinação específica de tecidos diferentes", diz o texto.

A conclusão foi de que tecidos como algodão funcionam como uma barreira mecânica para partículas, enquanto os tecidos que carregam uma carga estática, como o chiffon, a seda ou a flanela, servem como uma barreira eletrostática.

Enquanto algumas localidades apenas recomendam, ao menos 40 gestões municipais publicaram decretos que obrigam parte ou toda a população a utilizar máscaras em vias públicas e locais fechados para evitar o avanço do novo coronavírus no Brasil. Em parte dos casos, o descumprimento pode ser punido com multa, sanção administrativa e até cassação de alvará.

A medida ganhou impulso após recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde no início do mês, que indica máscaras caseiras a fim de não desabastecer o estoque já baixo de equipamentos para profissionais de saúde.

Sabe-se que as máscaras de pano não são totalmente seguras contra o vírus, mas a pesquisa da Universidade de Chicago ajuda a montar versões bem mais eficazes.

"Descobrimos que combinações de vários tecidos geralmente disponíveis, usados em máscaras de pano, podem fornecer uma proteção significativa contra a transmissão de partículas de aerossol", dizem os pesquisadores.

O Ministério da Saúde orienta que:

  • a máscara caseira tenha pelo menos duas camadas de pano
  • seja de uso individual, ou seja, sem compartilhamento com outras pessoas
  • cubra totalmente boca e nariz, bem ajustada ao rosto e sem deixar espaços nas laterais
  • seja utilizada sempre que houver necessidade de sair de casa
  • seja trocada a cada duas horas (leve sempre uma máscara reserva)
  • fique em sacola plástica ou higienizada (que pode ser usada para guardar a máscara suja)

As máscaras podem ser lavadas com água e sabão, água sanitária ou mesmo hipoclorito de sódio. Devem ser deixadas de molho por 20 minutos e deixadas para secar — o uso deve ser de máscaras completamente secas.