PUBLICIDADE
Topo

Harmony Smart Control: "minha voz e celular viraram controle remoto da TV"

Harmony Smart Control - Marcella Duarte/UOL
Harmony Smart Control Imagem: Marcella Duarte/UOL

Marcella Duarte

Colaboração para Tilt

21/04/2020 04h00

Às vezes controlar a TV não é tão simples. É preciso encontrar o controle remoto, escolher o input, ligar a sound bar. Aí, sim, escolher um filme na Netflix. Ufa! Mais rápido dizer apenas: "Alexa, assistir 'Friends' na Netflix" e tudo ligar como mágica, certo?

Para atingir esse sonho, pesquisei e encontrei o Harmony Smart Control, da Logitech. É, basicamente, um controle remoto universal dos tempos modernos.

Eu precisava de um aparelho que conseguisse controlar diversos aparelhos e sistemas ao mesmo tempo. O Harmony Smart Control "aprende" outros controles e conversa com a Alexa, que eu já uso.

Ele funciona como controle físico para aparelhos com infravermelho ou radiofrequência e também como controle virtual, via aplicativo e Bluetooth.

Com ele dá para controlar diversos itens de entretenimento e de automação residencial, como televisão, sistema de som, conversor de TV a cabo, aparelho de blu-ray, set-top box (Apple TV, Fire TV, Roku), videogame (Playstation, Xbox), lâmpadas Philips Hue e até persianas, termostatos e fechaduras.

Optei pelo modelo Smart Control, simples e compacto, que comprei em uma promoção por US$ 70 durante uma viagem aos Estados Unidos -­-o preço normal é entre US$ 100 e U$ 150.

Por cerca de US$ 200 a mais, o modelo top de linha, Harmony Elite, oferecia um controle com tela touch, onde dá para navegar diretamente por todas as funções. Como eu também posso fazer isso via celular, com o aplicativo, achei que não valia o investimento. Além disso, telas touch não costumam combinar com casas com crianças ou gatos —que o diga o controle da minha Apple TV.

Harmony Smart Control - Marcella Duarte/UOL - Marcella Duarte/UOL
Imagem: Marcella Duarte/UOL

O uso de um smartphone ou tablet é essencial. Especialmente neste modelo, já que nem todas as ações conseguem ser realizadas só com as teclas do controle. Plugue o hub na tomada, baixe o aplicativo Harmony Control, disponível para Android e iOS, e faça a configuração inicial usando Wi-Fi e Bluetooth.

Tive um pouco de trabalho ao adicionar meus aparelhos e canais, pois o aplicativo não é dos mais amigáveis para o usuário. È pouco intuitivo, e tive de passar por diversas telas na hora da configuração. Alguns canais são encontrados pelo modo automático, e outros precisam ser encontrados manualmente.

Com paciência, demorei uma semana para conseguir deixar funcionando como queria. A integração da Alexa com o software Harmony ainda tem algumas falhas. Segundo o fabricante, também é possível conectar com Google Home, mas apenas em inglês e com limitações.

Você precisa posicionar o hub para acessar todos os aparelhos que deseja acessar (é dele que partem os sinais de infravermelho, de Bluetooth e de Wi-Fi). O kit vem com um mini "IR blaster", um repetidor de infravermelho, que pode ser colocado para potencializar o sinal. Já o controle funciona por radiofrequência de longo alcance ­—permitindo que mesmo aparelhos mais antigos, sem Bluetooth ou Wi-Fi, sejam ativados por ele.

Com essas quatro tecnologias de conexão, é possível controlar até aparelhos dentro de móveis fechados ou atrás de paredes. E mesmo quando você não está em casa. Dá para incluir até oito aparelhos no hub Harmony Companion (o modelo Elite permite até 15).

Apesar de ser um modelo mais antigo (que eu só descobri agora), projetado antes mesmo de existir a linha Amazon Echo, ele recebe constantes atualizações. Hoje, são cerca de 270 mil aparelhos e sistemas habilitados.

Mas controlar os aparelhos é bem simples. Estou usando com as Apple TVs da casa, alto-falante Sonos e receptor da NET, todos conectados ao meu Echo Show. Em geral, uso o comando por voz e alguns pelo iPhone.

Harmony Smart Control - controle remoto - Marcella Duarte/UOL - Marcella Duarte/UOL
Controle remoto do Harmony Smart Control
Imagem: Marcella Duarte/UOL

Por força do hábito analógico, me acostumei a aumentar volume e trocar canais pelo controle físico. E, se não estiver com o celular à mão, há as teclas "assistir TV", "ouvir música" e "ver filme". Além disso, cada botão pode ser programado para duas funções (com toque rápido ou toque longo). Um ponto baixo é que o controle não tem iluminação nas teclas, o que torna um pouco chato de usar com pouca luz.

No app, você pode organizar os aparelhos por cômodos (sala de estar, de jantar, quarto etc.) e configurar até 50 ações personalizadas "one touch". Com apenas um comando (uma tecla no controle remoto, um toque no app ou uma frase por voz), uma série de aparelhos são acionados.

Por exemplo, você pode programar para todos os dias às 8h da manhã tocar um alarme, abrir persianas, ligar a luz de cabeceira e a televisão em um canal de notícias. Ou apertar um botão que dispara a televisão, o receptor de TV a cabo e a soundbar. Ou dizer um simples "Alexa, boa noite", que coloca em um canal de filmes e diminui a iluminação.

Com apenas um controle e uma Alexa, os momentos de lazer no meu dia a dia ficaram mais confortáveis. Todo o entretenimento da sala de estar está ao alcance da minha mão e da minha voz. O próximo passo será incluir alguns itens de automação residencial, como a minha fechadura August, no Harmony.

O mais fácil é adquirir o Harmony durante uma viagem. Outra possibilidade são os sites norte-americanos ou chineses que entregam aqui (sujeitos a impostos e taxas da Receita Federal).

Em tempos de isolamento social e de dificuldade de importação, uma opção é recorrer a marketplaces brasileiros. Mas precisa estar disposto a investir. Hoje, o Harmony Smart Control pode ser encontrado com valores entre R$ 800 e R$ 1.200. Já o modelo Elite ultrapassa os R$ 2.000.

Nesta seção, Tilt mostra como funcionam produtos que não estão disponibilizados de forma oficial no Brasil e quais usos as pessoas fazem deles lá fora.