PUBLICIDADE
Topo

Caixa Auxílio Emergencial: como fugir de golpe e usar site e app sem medo

Página inicial do portal da Caixa para solicitação do Auxílio Emergencial - Reprodução
Página inicial do portal da Caixa para solicitação do Auxílio Emergencial Imagem: Reprodução

Rodrigo Trindade

Do UOL, em São Paulo

09/04/2020 13h08

Criado para entregar à população brasileira o auxílio emergencial de R$ 600 em meio à pandemia do novo coronavírus, o aplicativo Caixa Auxílio Emergencial (baixe no Android ou iOS) está disponível desde terça-feira (7).

No entanto, golpes e aplicativos falsos surgiram para enganar quem busca fazer o resgate da renda. Se você está confuso e com medo de utilizar os recursos, explicaremos a seguir os caminhos seguros para receber o dinheiro do governo.

Há duas maneiras distintas para solicitar o resgate do valor:

  • O aplicativo oficial Caixa Auxílio Emergencial;
  • O site oficial do Auxílio Emergencial do Governo Federal.

Apenas quem não recebe Bolsa Família e não estava registrado no CadÚnico (Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal) até o dia 20 de março de 2020 necessita recorrer aos aplicativos. O público-alvo que precisa se inscrever consiste em:

  • Trabalhadores informais;
  • Contribuintes individuais da Previdência Social;
  • MEIs (Microempreendedor Individual).

Estes devem procurar os canais oficiais citados anteriormente (já com os links corretos), a fim de evitar golpes. Se você preferir buscar na Play Store (no Android) ou na App Store (iOS), escreva o nome completo do aplicativo, Caixa Auxílio Emergencial. Ao selecionar o aplicativo a ser baixado, para garantir que você selecionou o correto, observe se os dizeres "Caixa Econômica Federal" aparecem logo abaixo do nome do app.

Apps variados aparecem na busca, mas o Caixa Auxílio Emergencial está em primeiro na Play Store - Reprodução
Apps variados aparecem na busca, mas o Caixa Auxílio Emergencial está em primeiro na Play Store
Imagem: Reprodução

Aplicativo na busca na Play Store e App Store - Reprodução
Aplicativo na busca na Play Store e App Store
Imagem: Reprodução

Uma busca por "auxílio emergencial" feita hoje (9) teve como primeiro resultado o aplicativo correto tanto na Play Store quanto na App Store.

Contudo, isso não foi o que ocorreu em dias anteriores, quando apps terceiros que prometiam a consulta de benefícios, ou incluíam os dizeres "auxílio emergencial" apareceram entre os primeiros resultados. Se isso porventura voltar a acontecer, não faça o download, muito menos insira suas informações por lá.

Mais cuidados

Além dos aplicativos falsos, há links fraudulentos circulando pela internet que tentam explorar as pessoas que buscam resgatar o auxílio emergencial. O dfndr lab, da empresa de segurança digital PSafe, identificou que um golpes deste tipo tiveram 6,7 milhões de compartilhamentos e acessos no Brasil.

A empresa registrou de 90 a 100 páginas falsas que tentam induzir que você ceda seus dados pessoais e compartilhe o conteúdo com seus contatos no WhatsApp — buscando enganar mais pessoas. Novamente, atenção é sua defesa contra os golpes. A recomendação de Emilio Simoni, diretor do dfndr lab, é ver se o link da página que você acessou termina com "gov.br".

Como solicitar?

Antes de inserir qualquer informação pessoal, o aplicativo descreve quem está apto a receber o auxílio. É necessário estar completamente de acordo com o perfil para fazer a solicitação. Os requisitos são:

  • Ter mais de 18 anos;
  • Não ter emprego formal;
  • Não receber benefícios previdenciários (INSS), assistenciais, seguro-desemprego e Programa de Transferência de Renda Federal (Bolsa Família não é um impeditivo);
  • Renda familiar mensal de até R$ 522,50 por pessoa ou até R$ 3.135,00 no total da família;
  • Não ter recebido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2018;
  • Estar desempregado ou ser MEI, trabalhador informal, contribuinte individual ou facultativo do Regime Geral de Previdência Social;
  • Não ser agente público, inclusive temporário, nem exercer mandato.

Se você encaixa nestes requisitos, você precisa selecionar duas caixinhas, informando que você leu e sabe que se enquadra em quem pode receber o auxílio e que autoriza o acesso e uso dos seus dados para validar se você está qualificado para recebê-lo.

Na página seguinte, é solicitado o nome, o CPF, a data de nascimento e o nome da mãe. Após clicar em "Continuar", é pedido o número do celular e sua operadora telefônica para o envio de um código por SMS, a ser enviado em até 10 minutos e com validade de quatro horas.

O código é necessário para avançar para os "Dados complementares". Nesta página, você deve descrever quanto você ganhava, em média, por mês (as opções vão de "até R$ 600" a "acima de R$ 3.153,01"), e qual é sua atividade profissional.

A tela seguinte pede dados de todos os membros da família que moram com você, inclusive o CPF daqueles que tenham o documento. Você precisa indicar o número de familiares com CPF para depois identificar o grau de parentesco, o CPF e a data de nascimento de cada um deles.

Ainda não acabou. É necessário inserir o endereço completo (CEP, estado, cidade...) antes de definir o recebimento em uma conta existente ou abrir uma poupança digital para receber o auxílio.

Caixa Auxílio Emergencial: passo a passo de como usar o app

  • Se escolhida a primeira opção, você precisa escolher um banco, apontar a agência e a conta;
  • Se escolhida a segunda, você precisa inserir dados do seu RG ou habilitação.

Ufa!

A última tela é uma revisão dos dados. Se tudo estiver correto, basta clicar em concluir solicitação e aguardar o dinheiro ser depositado. Ele começa a ser pago hoje mesmo. Setão três parcelas a serem pagas até o dia 30 de junho.

SIGA TILT NAS REDES SOCIAIS