PUBLICIDADE
Topo

Mais de um bilhão de celulares Android correm risco de ser hackeados

Android na sede do Google - Getty Images
Android na sede do Google Imagem: Getty Images

De Tilt, em São Paulo

06/03/2020 17h49Atualizada em 09/03/2020 09h48

Mais de um bilhão de celulares Android correm risco de ser hackeados atualmente por não receber mais atualizações de segurança, segundo a empresa "Which?".

Dois em cada cinco usuários de Android poderiam ser alvo fácil para cibercriminosos. Isso porque falhas de segurança em versões antigas do sistema operacional não têm sido mais corrigidas pelo Google.

"Celulares e tablets poderiam ser afetados por um software nocivo ou outras ameaças. Isso poderia resultar em roubo de dados pessoais, recebimento de spam com propaganda ou até assinar um plano de telefonia indesejado", afirmou a empresa.

Dados do Google relatam que mais de 42% dos usuários de Android no mundo ainda usam a versão 6.0 do sistema operacional, conhecida com Marshmallow, ou versões anteriores. A Marshmallow foi lançada em outubro de 2015 e não recebe atualizações de segurança desde o ano passado.

A "Which?" diz ter trabalhado com uma empresa de antivírus para testar cinco modelos diferentes de celular Android (Sony Xperia Z2, Google Nexus 5, Motorola Moto X Style, Samsung Galaxy S6 Edge, Samsung Galaxy A5), checando se eles poderiam ser infectados com softwares nocivos. Todos os celares puderam ser infectados.

"Estamos dedicados em melhorar a segurança de aparelhos Android todo dia. [...] Nós provemos atualizações de segurança com reparo de bugs e outras proteções mensalmente e trabalhamos continuamente com parceiros para garantir que os usuários tenham uma experiência rápida e segura com seus dispositivos", declarou representante da Google à "Sky News".

A empresa anunciou que donos de celulares com versões antigas do Android devem contatar a fornecedora para ver se a segurança dos aparelhos pode ser reparada.

SIGA TILT NAS REDES SOCIAIS