PUBLICIDADE
Topo

Sua mala deverá chegar mais rápido com este carro autônomo que leva bagagem

Tract AT135, veículo automático da Air France em operação no aeroporto de Toulouse - Divulgação/Air France
Tract AT135, veículo automático da Air France em operação no aeroporto de Toulouse Imagem: Divulgação/Air France

João Paulo Carvalho

Colaboração para Tilt, em Madri

20/01/2020 04h00

Enquanto diversos países da Europa debatem sobre as condições e as regulamentações para carros sem condutores, a tecnologia invade outros campos. No aeroporto de Toulouse, no sul da França, a companhia aérea Air France adotou veículos autônomos para transportar a bagagem de passageiros.

Fabricado pela empresa francesa Charlatte Autonom, o carro é conhecido como Tract AT135 e foi desenvolvido para atuar exclusivamente no setor de logística da Air France. Trata-se do primeiro veículo autônomo do mundo a desempenhar funções deste tipo em um aeroporto.

Ainda que ele seja operado pela própria companhia aérea, o projeto é resultado da colaboração entre quatro empresas. Além das já citadas Air France e Charlatte Autonom, Groupe 3S e TCR são diretamente responsáveis pela assistência técnica e melhorias do sistema do Tract AT135.

O veículo foi desenvolvido para ajudar no transporte de malas da área de pousos e decolagens dos aviões até a esteira de bagagens. A parte externa do Tract AT 135 é idêntica à dos carros convencionais que operam em aeroportos do mundo todo.

O diferencial, entretanto, está na área interior, que tem sensores, câmeras traseiras e dianteiras e uma tela sensível ao toque de 40 centímetros de comprimento. O carro, que suporta carregar até 25 toneladas e tem velocidade média de 24 quilômetros por hora, conta ainda com um GPS.

Apesar dos variados recursos automáticos, muitas funcionalidades do Tract AT135 ainda precisam ser feitas de maneira manual. O carregamento das malas, por exemplo, fica por conta dos operários, que também devem programar o destino final do veículo com ajuda do GPS.

Até o momento, os carros sem condutores estão sendo utilizados apenas em Toulouse. Em fase de testes desde o fim de novembro, a ideia é de que todo o transporte de bagagem do aeroporto seja operado exclusivamente por esses veículos até dezembro de 2020. A empresa também visa levar o Tract AT135 para outros países do mundo.

"Esse é o primeiro passo para que tenhamos uma distribuição mais ampla de veículos autônomos em nossos aeroportos", afirmou o chefe de inovação tecnológica da Air France, Vincent Euzeby. "Queremos projetar o aeroporto inteligente, mais inovador, conectado e eficiente para nossos clientes", complementa o presidente do conselho administrativo do aeroporto de Toulouse, Philippe Crébassa.

Tempo e economia

Ainda de acordo com a Air France, os custos de manutenção dos novos carros são bem mais enxutos se comparados aos veículos antigos. Segundo a empresa, que não divulgou as cifras, o Tract AT135 dura três vezes mais, já que ele não necessita de reparos constantes.

Como o combustível escolhido para ele é biodegradável, o veículo também se adapta às novas medidas climáticas do planeta. "O Tract AT135 representa ganhos em todos os quesitos. A gente quer fazer com que a vida de todos, principalmente a dos usuários do aeroporto, seja mais fácil", complementa Euzeby.

O fator tempo foi determinante para que a nova tecnologia fosse testada em Toulouse. Se antes um carro demorava até 30 minutos para ser carregado desde a área de pousos e decolagens dos aviões até a esteira de bagagens, com o AT135 isso leva, no máximo, 15 minutos, ainda que o GPS tenha que ser programado manualmente.

"Todo mundo já se estressou alguma vez na vida com a demora para que as malas chegassem até a esteira. Eu mesmo já fiquei mais de meia hora esperando. Um dos propósitos é fazer com que as pessoas percam menos tempo esperando pela bagagem. Os testes, até aqui, foram positivos. Vamos ver se conseguimos melhorar ainda mais nos próximos meses", conta Crébassa.

SIGA TILT NAS REDES SOCIAIS

Inovação