PUBLICIDADE
Topo

Fósforo pode ter vindo para a Terra a partir de cometa, diz pesquisa

Nave da missão Chandrayann-2 registrou imagem da Terra - Divulgação/ISRO
Nave da missão Chandrayann-2 registrou imagem da Terra Imagem: Divulgação/ISRO

De Tilt, em São Paulo

16/01/2020 12h21Atualizada em 16/01/2020 20h26

Elemento essencial para a vida humana, a chegada do fósforo à Terra é um mistério que astrônomos do ESO (Observatório Europeu do Sul, na sigla em inglês) acreditam ter desvendado, segundo pesquisa divulgada ontem.

Usando conjuntamente o telescópio Alma e a sonda da Agência Espacial Europeia Rosetta, os especialistas observaram uma área de formação de estrelas conhecida como AFGL 5142 e identificaram onde moléculas contendo fósforo se formam.

Eles decidiram pesquisar a área porque estrelas e sistemas planetários se formam em regiões semelhantes a nuvens de gás e poeira entre as estrelas, tornando estes lugares ideais para iniciar a busca pelos elementos essenciais para que novas substâncias surjam.

Segundo as observações do ALMA, moléculas portadoras de fósforo são criadas à medida que estrelas massivas são formadas. Fluxos de gás de jovens estrelas massivas abrem cavidades em nuvens interestelares, e as moléculas contendo fósforo se formam ali, através da ação combinada de choques e radiação.

"A vida apareceu na Terra há cerca de 4 bilhões de anos atrás, mas ainda não sabemos os processos que a tornaram possível", diz em comunicado Víctor Rivilla, principal autor do estudo publicado na revista Monthly Notices da Royal Astronomical Society.

Depois de procurar essa molécula nas regiões de formação de estrelas com o ALMA, a equipe também avaliou a composição do cometa 67P / Churyumov - Gerasimenko. A ideia era seguir a trilha desses compostos contendo fósforo.

Eles acreditavam que, mesmo antes das estrelas se formarem completamente, grãos de poeira contendo fósforo se uniriam, formando rochas que cresceriam e se transformariam em cometas, que se tornam transportadores de monóxido de fósforo.

"O fósforo é essencial para a vida como a conhecemos", disse Kathrin Altwegg, pesquisadora principal do Rosina. "Como os cometas provavelmente entregaram grandes quantidades de compostos orgânicos à Terra, o monóxido de fósforo encontrado no cometa 67P pode fortalecer o vínculo entre os cometas e a vida na Terra."

SIGA TILT NAS REDES SOCIAIS

Astronomia