PUBLICIDADE
Topo

Famosos não te convidaram para festa! Entenda o golpe que rola no WhatsApp

A jornalista Andréia Sadi foi a vítima mais recente do golpe - Reprodução/TV Globo
A jornalista Andréia Sadi foi a vítima mais recente do golpe Imagem: Reprodução/TV Globo

Bruna Souza Cruz

De Tilt, em São Paulo

10/01/2020 14h50

Você já ouviu falar no "golpe da festa"? Se ele ainda não chegou até você, atenção redobrada agora. Nos últimos meses, uma série de artistas, apresentadores e jornalistas têm publicado alertas sobre o uso indevido de seus nomes em falsos convites para festas. O objetivo final dos criminosos é roubar contas no WhatsApp para a prática de extorsões.

A jornalista da Globo News Andrea Sadi foi a mais nova vítima. Na noite de ontem (9), ela compartilhou em seu Instagram um aviso para os seus seguidores sobre o golpe. Xuxa, Preta Gil, Giovanna Ewbank, Hugo Gloss, Celso Portiolli, Renata Capucci e outras figuras públicas também se depararam com a tentativa de fraudes parecidas.

Mas como o golpe funciona?

Uma pessoa entra em contato por telefone com vítima em potencial informando que o famoso "X" está organizando um evento (festas ou shows) e que existe um convite VIP disponível.

Com a promessa de garantia desse convite, a pessoa do outro lado da linha diz que um código SMS será enviado para o celular em questão e a vítima precisa informar os números recebidos no mesmo instante.

É nesse momento que o golpe se consolida.

O código enviado pelo(a) criminoso(a) é na verdade número de segurança de ativação do WhatsApp. Em posse dele, a conta da pessoa afetada é sequestrada e o perfil deixa de funcionar no celular dela.

Os criminosos passam então a ter acesso a todos os contatos, conversas, fotos e arquivos da vítima.

Próxima etapa

Se passando pela vítima que teve o seu WhatsApp roubado, o golpista começa a pedir dinheiro emprestado aos conhecidos dela.

Mil desculpas são usadas para convencer os contatos a fazerem transferências bancárias. Contas atrasadas que precisam ser pagas e parentes doentes que precisam de medicamentos são alguns dos argumentos usados.

Fator de atenção: Em geral, a conta compartilhada para o depósito ou transferência possui o destinatário bem diferente do nome da vítima. Fica o alerta.

Até recentemente, golpes como o descrito acima terminavam quando o dono da conta do WhatsApp conseguia recuperá-la novamente (ensino logo a seguir).

No entanto, os golpistas descobriram uma forma para dificultar esse processo, segundo alertou a empresa de segurança Kaspersky. Você já ouviu falar em autenticação em dois fatores?

O recurso pode ser configurado dentro do próprio WhatsApp e funciona como uma camada a mais de segurança. Mesmo que uma pessoa obtenha o código de verificação SMS, ela vai precisar inserir também uma senha de seis dígitos criada pelo seu dono durante a configuração. Ou seja, só sabendo essa informação para conseguir roubar o seu perfil.

As vítimas que não chegaram a criar essa senha acabam impedidas pelos golpistas de recuperar suas contas mais facilmente, já que os criminosos acabam criando uma sequência numérica que só eles vão saber.

Estratégia não afeta só os famosos

Apesar de o golpe ter ganhado visibilidade por envolver o nome de personalidades conhecidas no Brasil, a prática já afetou uma série de usuários brasileiros.

Em outubro deste ano, Tilt contou a história de Marco Lopes e Hugo Matta. Ambos decidiram vender coisas em plataformas de comércio online. Tempos depois, receberam mensagens e ligações de falsos funcionários desses sites em uma tentativa de sequestrar suas contas no WhatsApp.

Outro agravante dessa modalidade é que, uma vez que os criminosos possuem os contatos da vítima, eles podem usar esses mesmos números para tentar aplicar novos golpes seguindo a mesma estratégia (de falsos convites para festas e shows).

Como recuperar a minha conta em caso de golpe?

Passo 1: Tente reinstalar o WhatsApp e configurar a sua conta novamente. Abra o aplicativo, preencha o seu número e aguarde o recebimento do código SMS de autenticação. Em seguida, digite esse número e siga os demais passos

Passo 2: Se a configuração da conta não der certo, será preciso notificar a empresa de que a sua conta foi roubada. Envie um email para support@whatsapp.com. O assunto e a mensagem do email precisam ter a frase "Perdido/Roubado: Por favor, desative minha conta". Inclua também o seu telefone no formato internacional: +55 (código do Brasil), o DDD de sua área e o número do celular.

Assim que o seu perfil no WhatsApp for desativado, o criminoso deixa de ter acesso a ele. Você tem então até 30 dias para reativar a sua conta seguindo o primeiro passo.

Como se proteger?

Sendo famoso ou não, a primeira recomendação de especialistas é: fique em alerta com pedidos de compartilhamento de códigos online. Na dúvida, não forneça nada. Caso seja vítima do golpe, o ideal é que um registro de ocorrência seja feito para que a polícia possa investigar os criminosos.

Desconfie se:

  • Receber ligações e mensagens de pessoas em nome de pessoas famosas, sites de comércio online, de bancos, entre outros;
  • Fique ainda mais em alerta se neste contato for pedido para você instalar algum programa em seu aparelho, exigirem pagamento e/ou informações pessoais (senhas, documentos pessoais);
  • O uso de gírias, frases informais demais e erros de ortografia, no caso de mensagens de textos, também indicam que algo está errado;
  • Para aumentar a proteção, ative a verificação em duas etapas do WhatsApp (aprenda a configurar aqui).

SIGA TILT NAS REDES SOCIAIS

*Com matéria de Bruna Souza Cruz