Topo

Google Nest Mini, aparelho que controla a casa, chega ao Brasil por R$ 349

Nest Mini, o novo alto-falante inteligente apresentado pelo Google - Divulgação
Nest Mini, o novo alto-falante inteligente apresentado pelo Google Imagem: Divulgação

Helton Simões Gomes

De Tilt, em São Paulo

11/11/2019 10h22Atualizada em 12/11/2019 10h52

Sem tempo, irmão

  • O Google anunciou hoje que começa a vender seu alto-falante inteligente, o Nest Mini, no Brasil
  • Aparelho que chega ao país é uma evolução do Home Mini e custa R$ 349
  • A alma do Nest Mini é o Google Assistente, serviço que interpreta requisições e busca respostas na web ou executa ações em itens conectados a ele
  • Segundo o Google, o aparelho ouve tudo, mas só começa a gravar após ouvir "Ok, Google"

Depois de saber o que você fez no verão passado no seu celular e na internet, o Google quer agora não só descobrir o que você faz em casa quando está conectado, mas também participar do processo. Para isso, a empresa anunciou nesta segunda-feira (11) o início das vendas de seu alto-falante inteligente, o Google Nest Mini.

Com preço de lançamento de R$ 349, o aparelho deixa qualquer pessoa a um "Ok, Google" de distância das mais variadas tarefas, desde buscas por informações —"vai chover?", "quantos anos têm Jair Bolsonaro?" — a solicitações de ações — "toque alguma música dos Beatles". Também é capaz de permitir controle via voz com outros aparelhos compatíveis, como lâmpadas e equipamentos de áudio.

Em meio ao lançamento, o UOL lançou uma parceria com o Google para trazer conteúdo ao alto-falante. O "Boletim Ecoa de boas notícias" vai trazer reportagens de destaque contadas pela editora Giuliana Bergamo, com trechos de entrevistas e depoimentos dos repórteres sobre os bastidores da apuração.

O aparelho que chega ao Brasil é uma evolução do Home Mini. Além do nome novo, que agora incorpora a divisão de dispositivos domésticos da empresa, a caixinha de som possui graves mais potentes e um processador de "aprendizado de máquina" (um ramo da inteligência artificial) que analisa os comandos do Google Assistente no próprio dispositivo. Isso quer dizer que seus dados não precisam ser armazenados na nuvem.

O negócio de alto-falantes inteligentes virou uma nova frente de competição entre empresas de tecnologia, principalmente Google e Amazon. Essas empresas apostam que as caixas de som podem ser uma espécie de ponto central das casas conectadas, que já se tornou um negócio bilionário.

Se, em 2018, esse segmento movimentou US$ 7,8 bilhões em todo mundo, a estimativa é que movimente US$ 31,7 bilhões em 2023, segundo a consultoria IHS Markit.

"Essa conexão da casa já é uma realidade", diz Maia Mau, head de marketing de hardware do Google. "A gente quer que isso passe pelas casas brasileiras".

A alma do Nest Mini é o Google Assistente, uma plataforma inteligente que interpreta requisições e busca respostas na internet ou executa ações nos aparelhos conectados a ele. Ele já entende e executa comandos em português do Brasil desde o fim de 2018. Antes de trazer sua própria linha de alto-falantes inteligentes, o Google já havia firmado uma parceria com a JBL para incluir o Assistente nas caixas de som Link 10 e Link 20.

Só depois de Amazon trazer a Alexa ao mercado brasileiro em outubro, no entanto, o Google arriscou desembarcar por aqui seu segundo hardware — até então, o Chromecast era o único aparelho da empresa no país.

O Nest Mini possui um formato esférico e compacto (10 centímetros de diâmetro e 200 gramas). A parte superior é revestida com tecido feito de garrafas plásticas recicladas. Um suporte de parede agora vem incluso na caixa.

Além de ligar quando ouve "Ok Google", o Nest Mini pode ser acionado quando percebe a proximidade de uma mão pairando sobre ele. É possível elevar e diminuir o volume por meio de gestos.

Ele será vendido nas cores giz e carvão. Nos Estados Unidos, onde o alto-falante começou a ser vendido no fim de outubro por US$ 49, há ainda as cores coral e céu.

O Nest Mini disputa diretamente com o também alto-falante inteligente compacto da Amazon Echo Dot, que custa R$ 349 — a linha da gigante do varejo conta ainda com o Echo Show 5, modelo que possui tela e sai por R$ 599; e Echo, mais potente e vendido por R$ 699.

Segundo o Google, o aparelho ouve tudo, mas só começa a gravar após ouvir "Ok, Google". Nos EUA, o processamento é feito pelo chip do Nest Mini. Isso, por ora, não vai funcionar no Brasil porque o software ainda não está totalmente preparado. Ou seja, algumas informações serão enviadas ao Google para que o aparelho consiga dar respostas e executar tarefas.

Fora isso, é possível consultar o histórico de interações com o alto-falante inteligente, que ficam registradas na nuvem. Segundo o Google, essas gravações são eliminadas após 60 dias e são acessíveis apenas aos próprios usuários.

SIGA TILT NAS REDES SOCIAIS

Google