Topo

Internautas detonam Google por card que liga "professora" à prostituição

Significado de professora no Google traz uma gíria que alude à prostituição - Reprodução
Significado de professora no Google traz uma gíria que alude à prostituição Imagem: Reprodução

Márcio Padrão

De Tilt, em São Paulo

22/10/2019 13h23Atualizada em 23/10/2019 12h22

Sem tempo, irmão

  • Resultado de "professora significado" no Google traz card com conotação de "prostituta"
  • Assunto repercutiu no Twitter, e captura de tela foi compartilhada no WhatsApp
  • Google respondeu dizendo que card puxou conteúdo de dicionário online parceiro

Na noite desta segunda-feira (21), alguns internautas começaram a espalhar uma descoberta um tanto desagradável para quem trabalha com ensino no Brasil. Ao buscar por "professora significado" no Google, muitos encontraram como resultado um card com uma definição da profissão associado à prostituição.

No card, que se mostra como um verbete de dicionário, a primeira definição sobre professora diz "Mulher que ensina ou exerce o professorado". Até aí tudo bem. Mas o segundo significado, chamado pelo verbete de "brasilianismo", diz que uma possível conotação para professora é "prostituta com quem adolescentes se inicial na vida sexual".

O assunto repercutiu bastante no Twitter, e a captura de tela também foi compartilhada em apps como o WhatsApp. Em meio às reclamações, as mensagens pediram para os internautas clicarem no link "feedback" (na ponta direita do card) para denunciar o conteúdo ao Google.

Volta e meia aparecem histórias e "desafios" do tipo "digite o termo X no Google e veja o resultado" insinuando que todo mundo virá a mesma resposta do Google, quando não é bem assim. Rolou isso bastante nas eleições presidenciais do ano passado.

Um resultado de busca no Google não é 100% comum a todos. Afinal, o algoritmo de buscas do Google lida com uma série de fatores, e alguns deles são bastante personalizados —ou sejam, mudam conforme o internauta.

Alguns exemplos dos dados que alteram resultados são análise ortográfica e semântica das palavras, classificação de páginas úteis e contexto com base em dados e metadados das páginas e dos usuários.

E mesmo quem viu o card em uma busca na manhã desta terça poderá não ver mais, pois o buscador pode sobrescrever o resultado antigo com notícias sobre esta história, como esta aqui.

Outro lado

Em nota, o Google afirmou que o buscador usa conteúdos licenciados de dicionários parceiros, que são exibidos diretamente como o card visto no resultado.

"Os resultados incluem usos coloquiais que podem causar surpresa, mas não temos controle editorial sobre as definições fornecidas por nossos parceiros que são os especialistas em linguagem. Reconhecemos a preocupação neste caso e vamos transmiti-la aos responsáveis pelo conteúdo", disse a empresa.

Alguns dicionários online usam a mesma conotação de professora mostrada no card, como o Houaiss, Michaelis, Aurélio e Aulete. O Google não confirmou, em sua resposta, quais são os dicionários parceiros da empresa nem qual deles traria o resultado apresentado no card.

SIGA TILT NAS REDES SOCIAIS

Google