Topo

Poeira de asteroides pode ter multiplicado vida na Terra, diz estudo

AFP PHOTO / Image copyright Mark A. Garlick, space-art.co.uk
Imagem: AFP PHOTO / Image copyright Mark A. Garlick, space-art.co.uk

De Tilt

15/10/2019 15h15

Uma colisão entre asteroides no espaço pode ter provocado o surgimento de várias espécies de seres vivos na Terra. Um estudo da Universidade de Lund, na Suécia, publicado na revista "Science Advances" sugere que o impacto entre os asteroides gerou uma cortina de poeira que inundou o sistema solar e resultou numa explosão de vida em nosso planeta.

De acordo com o estudo, isso teria acontecido há 466 milhões de anos atrás, bem antes do asteroide que extinguiu os dinossauros colidir com a Terra (66 milhões de anos atrás). Junto com uma série de outras mudanças, a poeira cósmica teria permitido que a vida no planeta prosperasse.

Esse fenômeno é chamado pelos pesquisadores de Grande Evento de Biodiversificação do Ordoviciano (GOBE). Cientistas já sabiam de sua existência, mas até então, não entendiam suas causas.

Uma das possibilidades do estudo é que a poeira dos asteroides tenha diminuído a incidência de luz solar sobre a Terra, reduzindo a temperatura no planeta.

Além disso, é possível que uma grande quantidade de ferro tenha ido parar nos oceanos e feito com que as plantas passasem a se alimentar de dióxido de carbono.

Na época, a vida na Terra era quase que restrita aos oceanos, que passaram por uma onda de surgimento de novas espécies após o GOBE.

Os pesquisadores chegaram a essas conclusões ao estudarem dezenas de meteoritos fossilizados em uma pedreira sueca de calcário.

Ciência