Topo

Novo aeroporto de Pequim terá sistema de viagens inteligente com 5G

Aeroporto internacional de Daxing, em Pequim, que iniciou suas operações no dia 25 - Greg Baker/AFP
Aeroporto internacional de Daxing, em Pequim, que iniciou suas operações no dia 25 Imagem: Greg Baker/AFP

De Tilt, em São Paulo

30/09/2019 13h45

O novo aeroporto Pequim-Daxing, na capital chinesa, foi inaugurado na semana passada na capital chinesa como sendo um dos maiores do mundo. Além do tamanho e do ar futurista, o aeroporto quer se destacar também no quesito inovação.

A Huawei, a China Unicom (operadora de telefonia móvel) e a cia aérea China Eastern Airlines implementaram um sistema de viagem inteligente no local, com uso do 5G para otimizar os serviços e aumentar a segurança.

Pelo sistema, passageiros podem realizar o check-in, despachar a bagagem, passar pela segurança e embarcar sem precisar apresentar documentos de identificação ou passagens. Tudo isso é feito usando o reconhecimento facial.

A ideia é que os passageiros obtenham de maneira rápida também todas as informações sobre o seu voo e que as companhias administrem o fluxo e seus serviços de um jeito mais prático.

A China Eastern Airlines vai terstar serviços que aliam 5G e realidade aumentada - Divulgação
A China Eastern Airlines vai terstar serviços que aliam 5G e realidade aumentada
Imagem: Divulgação

No caso das bagagens, os passageiros que precisam despachar malas poderão colocar os cartões de bagagem (duráveis e reutilizáveis) perto de seus celulares, inserir o número do voo e destino da bagagem e, em seguida, executar uma ativação para concluir a entrega da bagagem sem a necessidade de recibos em papel.

Segundo a Huawei, os dados armazenados durante as operações serão excluídos assim que o embarque do passageiro no avião for confirmado. A aérea chinesa quer levar o serviço a outros aeroportos e vai usar Daxing como projeto piloto.

O novo aeroporto internacional, em forma de estrela-do-mar foi projetado pela arquiteta anglo-iraniana Zaha Hadid, que morreu em 2016, e pela subsidiária de engenharia da empresa francesa Aéroports de Paris (ADP).

O terminal cobre uma área equivalente a 25 campos de futebol e inclui uma estação de metrô e uma estação de trem de alta velocidade.

O projeto custou 120 bilhões de iuanes (cerca de 17,5 bilhões de dólares) ou 400 bilhões de iuanes, se forem incluídas as conexões ferroviárias e rodoviárias.

Inovação