Topo

Amazon privilegia produtos mais lucrativos em buscas, diz jornal

Pacote de produto enviado pela Amazon, uma das gigantes do varejo online - Mike Segar/Reuters
Pacote de produto enviado pela Amazon, uma das gigantes do varejo online Imagem: Mike Segar/Reuters

De Tilt, em São Paulo

17/09/2019 11h31

A Amazon começou a fazer alterações nos resultados de pesquisa no ano passado para priorizar a lucratividade sobre a relevância, de acordo com reportagem do The Wall Street Journal na segunda-feira (16).

Segundo a reportagem, que cita funcionários da empresa, a Amazon otimizou o algoritmo que classifica as listagens, de modo que, em vez de mostrar aos clientes os produtos mais relevantes e mais vendidos, o site impulsiona os itens mais rentáveis para a empresa.

De acordo com o jornal, a medida foi inicialmente contestada pelos advogados da empresa, que alertaram sobre os problemas que poderia causar.

O objetivo seria favorecer produtos fabricados pela empresa e itens de terceiros com alta classificação no que chama de "lucro de contribuição".

A Amazon informou que o Wall Street Journal está errado e que explicou detalhadamente que o "furo" de fontes não identificadas não era factualmente preciso, mas eles continuaram a história mesmo assim.

"O fato é que não alteramos os critérios que usamos para classificar os resultados da pesquisa para incluir lucratividade. Apresentamos os produtos que os clientes desejam, independentemente de serem nossas próprias marcas ou produtos oferecidos por nossos parceiros de vendas", declarou a empresa.

"Como qualquer loja faria, consideramos a lucratividade dos produtos que listamos e apresentamos no site, mas é apenas uma métrica e, de maneira alguma, um fator primordial do que mostramos aos clientes", complementou.

SIGA TILT NAS REDES SOCIAIS

Mais Fique por dentro