PUBLICIDADE
Topo

Batata quente: por que celulares esquentam e o que fazer para evitar isso?

Além do uso "mais puxado", smartphones esquentam mais quando estão carregando - Getty Images
Além do uso "mais puxado", smartphones esquentam mais quando estão carregando Imagem: Getty Images

Rodrigo Lara

Colaboração para Tilt

13/09/2019 04h00

Sem tempo, irmão

  • Quanto maior a resistência a uma corrente elétrica, mais calor ela gera
  • Nem sempre aparelhos mais potentes aquecem mais, porque evolução técnica reduz isso
  • Apps executando em segundo plano e capinhas podem aumentar calor do smartphone

Seu celular esquenta com frequência? Às vezes, basta ficar alguns minutos mexendo no seu smartphone para perceber que, conforme o tempo passa, a carcaça dele começa a incomodar. O quanto ele esquenta depende diversos fatores, mas ele pode ficar desde "morninho" até virar uma verdadeira batata quente.

Esse problema pode ser causado por uma série de fatores e há algumas formas de mitigar.

Há algumas condições conhecidas para que isso pode aconteça:

  • Configurar o celular pela primeira vez;
  • Restaurar usando um backup;
  • Quando os apps indexam ou analisam dados novamente após atualização de software;
  • Maratona de vídeos de streaming
  • Ligações telefônicas muito longas
  • Utilizar apps, games ou recursos (como a câmera ou edição de imagens) que fazem uso intenso de gráficos ou de realidade aumentada por um tempo prolongado
  • Muitos apps sendo executados em segundo plano
  • Configurações de sistema exageradas, como muito brilho na tela, widgets e papéis de parede 3D na tela principal
  • Você deixou o telefone no sol por muito tempo, ou em um local muito quente, como sauna ou carro fechado no sol

Outras condições fora do comum são:

  • Problemas (bugs) com algum app ou com o sistema operacional
  • Problemas de hardware, como uma bateria defeituosa
  • Infecção por malwares (programas maliciosos), como programas de mineração de criptomoedas (cryptojacking)

Basicamente, esquentar é algo que todo produto eletrônico faz. A explicação está na física: trata-se do chamado efeito Joule, que se refere à relação entre o calor gerado e a corrente elétrica que percorre um condutor em determinado tempo.

Traduzindo para o português: quanto maior a resistência para uma corrente elétrica percorrer um determinado trajeto (como os circuitos do seu smartphone, por exemplo) —ou quanto maior a corrente nesse trajeto— mais calor ela gera.

"É esse efeito que faz uma lâmpada com potência de 100W esquentar mais do que uma de 25W, por exemplo. No caso do smartphone, que tem funcionamento similar ao de um computador, quanto maior o poder de processamento for exigido dele, mais energia ele irá demandar. E, consequentemente, mais ele irá aquecer", explica o professor Rudolf Bühler, do departamento de Engenharia Elétrica da FEI.

Se quanto maior o poder de processamento, maior o consumo de energia e o calor gerado, então você deve estar pensando: "Ah, é melhor ficar longe dos celulares mais avançados porque eles vão esquentar mais, certo?". Na verdade, não. "Nem sempre aparelhos mais potentes aquecem mais. Na verdade, avanços como a nanotecnologia buscam diminuir esse efeito", diz o professor João Carlos Lopes Fernandes, do curso de Engenharia de Computação do Instituo Mauá de Tecnologia.

Além, disso, esses avanços também buscam diminuir o consumo energético desses aparelhos, aumentando sua autonomia —um dos pontos críticos dos smartphones nos últimos tempos. Uma vez que consomem menos energia, menos calor será gerado. Então é bem provável que o celular topo de linha que você queria irá esquentar menos do que aquele intermediário que você está tentando substituir.

Além dos momentos de uso "mais puxado", os smartphones esquentam mais quando estão carregando. Neste caso, o que aquece é a bateria ao receber corrente elétrica. Se você tentar usar o celular nesse período, ele esquentará muito mais.

    Como identificar o culpado

    Há três peças no telefone que geram calor: a bateria, a CPU e a tela. Geralmente a bateria é ao primeiro coisa a se examinar, ainda mais se o calor vier da parte de trás do telefone.

    O calor, de maneira geral, pode causar danos de diversos tamanhos e formatos na bateria, sendo o mais leve dele a perda gradual de capacidade até situações mais extremas. O calor faz com que a bateria libere seus solventes orgânicos, que podem entrar em combustão com o calor ou uma faísca. As explosões do Samsung Galaxy Note 7 foram causadas por baterias com problema.

    Se o calor parecer vir da tela, o culpado pode ser a CPU (processador) ou a GPU (chip gráfico) do telefone. Esses componentes criam calor como subproduto da operação, por isso, quando o processador é exigido, a produção de calor aumenta.

    Se a parte inferior do seu telefone estiver esquentando, há uma grande chance de que o problema esteja sendo causado pelo carregador do celular.

    Os componentes como memória, processador, placa de vídeo, sensores, entre outros, também são comprometidos pelo excesso de calor. Eles começam a travar e, em casos extremos, deixam de funcionar.

    Quando o calor é excessivo?

    "Por funcionarem com eletricidade, é de se esperar que os smartphones tenham um aquecimento razoável", diz Danilo Martins, sócio-diretor da Yesfurbe. O problema, no entanto, é quando ele deixa de ser "razoável". A maioria dos smartphones, no entanto, têm sistemas e sensores para interromper o seu funcionamento caso detectem uma situação do tipo.

    É normal que os smartphones esquentem de vez em quando. Todos os telefones têm uma faixa de temperatura normal de 37° a 43° C. Mas como saber se passou disso?

    Há aplicativos para Android que medem a temperatura interna do celular, como IDA64, Cooling Master e CPU-Z. Só um detalhe: alguns deles prometem um recurso de "esfriamento" que é controverso: há quem defenda que a ação deles adiciona mais uma tarefa no processamento do celular e aumenta ainda mais o problema.

    O iPhone tem uma própria tela de aviso de temperatura caso seja ultrapassado um determinado limite de temperatura. O iOS tentará regular o problema, e alguns sinais disso são carregamento de bateria mais lento, tela escurecendo ou ficando preta, o sinal de celular pode ficar mais fraco, o flash da câmera é temporariamente desativado, e o desempenho fica mais lento em tarefas pesadas.

    Aviso de temperatura do iPhone quando o celular esquenta demais - Reprodução
    Aviso de temperatura do iPhone quando o celular esquenta demais
    Imagem: Reprodução

    Como resolver?

    Para a maioria dos casos, a forma mais simples é parar de usar o telefone excessivamente, deixando-o inativo por alguns segundos, ou minutos, até que ele esfrie naturalmente após a conclusão das tarefas que estavam em execução.

    Outras dicas:

    * Se gosta muito de jogar no celular, evite jogar por várias horas. Salve o jogo e faça pausas a cada hora, por exemplo.

    * Apps em segundo plano não são um problema, e os próprios sistemas operacionais os desativam depois de um tempo. Mas você pode desativá-los se quiser acelerar o processo ou se um determinado app estiver travado. No Android, vá em Configurações > Aplicativos > (app que deseja fechar) > Forçar Parada. No iPhone, isso pode ser feito, mas veja aqui como saber o procedimento para cada modelo.

    * Nunca coloque o telefone no congelador. Colocar o telefone em uma temperatura radicalmente diferente da do ambiente pode fazer com que a tela trinque e o sistema enfrente problemas de hardware.

    * Remova a capa protetora do celular por um tempo, pois ela funciona como isolante, fazendo com que o calor fique preso.

    * Use o telefone no modo de baixo consumo. Tanto o Android quanto o iOS têm modos nativos de economia de bateria. No iPhone, ele entra automaticamente aos 20% de carga, e no Android, nos 15%. Você pode antecipá-los indo nas Configurações/Ajustes do celular, na aba de bateria.

    * Desligue configurações desnecessárias, como GPS, Bluetooth e wi-fi quando não estiver usando-os. Reduza o brilho da tela ou ligue o modo automático, que se adapta à luz do ambiente. Outra opção mais radical é ativar o modo avião quando não planejar usar seu telefone.

    * Delete arquivos que não esteja usando mais.

    * Mantenha os apps atualizados. Quanto mais otimizado um app é, menos recursos ele vai usar, o que significa que é menos provável que ele aqueça o seu telefone.

    * Troque o carregador ou cabo de carregamento, se perceber que estão danificados. Se desconfiar da tela, bateria ou CPU, como falamos acima, e o problema persistiu mesmo com as dicas acima, melhor levar a uma assistência técnica

    * Use um app antivírus para bloquear malwares de uso à distância do processamento do celular ou cryptojacking.

    * Evite usar o aparelho quando ele estiver carregando e só use carregadores originais

    Como os smartphones não se refrigeram usando "coolers" (ventiladores internos) como os computadores, a única maneira de eles diminuírem a sua temperatura é efetuando troca de calor com o ambiente. Sendo assim, caso seu celular tenha dado aquela leve "fritada", deixe ele em local fresco por alguns minutos até ele voltar ao normal.

    Caso o problema persista, no entanto, o ideal é procurar uma assistência técnica.

    SIGA TILT NAS REDES SOCIAIS

    Tec a seu favor